Jorge Jesus rebate acusação de machismo: 'Essa carapuça não me serve'

Extra
·1 minuto de leitura

Uma resposta do técnico Jorge Jesus na entrevista pós-vitória do Benfica sobre o Marítimo, pelo Campeonato Português, causou uma repercussão negativa por causa do tom considerado machista usado pelo Mister. Porém, o Mister respondeu.

— [Essas críticas] São injustas: respondi a um jornalista, não se é branco, preto, senhora ou cavalheiro; disse que não estava de acordo com a pergunta, não foi por machismo, não sei o que é isso. No Brasil trabalhei com tantas jornalistas, a Irene Palma de A BOLA esteve comigo vários dias no Brasil, não visto essa carapuça, mas hoje sei que as sociedades são muito mascaradas, e isso é muito mascarado — declarou.

- Qual análise que você faz de um jogo em que o Benfica consegue regressar às vitórias, mas a qualidade não esteve cá toda? - indagou a repórter Rita Latas, do Sport TV.

- Não tenho a mesma opinião que você. É também natural que você não saiba o que é muita qualidade sobre futebol - rebateu Jorge Jesus.

Nas redes sociais, foram muitas as críticas ao treinador. "Ridículo e machista", definiu a jornalista Mariana Cabral, do jornal português Expresso. Profissional do mesmo veículo, Diogo Pombo também comentou: "Uma resposta destas é que nunca é, nem pode ser, natural - muito menos se tiver respondido assim por a pergunta ser colocada por uma mulher".