Johnny Depp vai à Justiça contra indenização de US$ 2 milhões para Amber Heard

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - Johnny Depp entrou na Justiça para apelar contra uma indenização de US$ 2 milhões, cerca de R$ 10 milhões, que deveria pagar à ex-mulher, Amber Heard, por difamação.

De acordo com a revista americana People, a defesa do ator argumenta que a decisão foi "errônea" e que deveria ser revertida.

Este é mais um capítulo na longa batalha que os dois travaram na Justiça americana, que envolveu diversas acusações de violência física e psicológica, de ambas as partes, e que em junho chegou a um aparente fim --ao menos é o que a mídia e os fãs, que acompanharam o caso de perto, achavam.

Na época, o júri concedeu uma vitória a Depp na ação de difamação que ele movia contra Heard, que o acusava de violência doméstica.

Pela decisão, Depp deveria receber US$ 10 milhões em danos compensatórios e US$ 5 milhões em danos punitivos. Mas a atriz ganhou parte do processo e, por isso, receberia US$ 2 milhões, devido a uma acusação do advogado do astro de "Piratas do Caribe".

No total, após reajustes e abatimentos, Heard deveria pagar ao ex-marido cerca de US$ 8,35 milhões, ou R$ 43 milhões.

No apelo enviado nesta quarta à Justiça do estado da Virgínia, nos Estados Unidos, a defesa de Depp alega que ele não deveria ser responsabilizado por comentários feitos por seu advogado. O pedido afirma que, "apesar do veredito favorável" no geral, algumas das decisões teriam sido "equivocadas".