Johnny Depp diz que Amber Heard o agrediu e ameaçava suicídio após brigas

  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.
·3 min de leitura
Neste artigo:
  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - O ator Johnny Depp, 58, conhecido por seu trabalho na franquia "Piratas do Caribe", acusou a ex-mulher Amber Heard, 35, de abuso psicológico, de agredi-lo fisicamente durante brigas e de ameaçar cometer suicídio em algumas discussões.

As afirmações foram feitas nesta quarta-feira (20) em depoimento em mais um dia do julgamento em um tribunal de Virgínia, nos Estados Unidos. Ele está processando Heard em US$ 50 milhões (cerca de R$ 233 milhões) por difamação.

Depp afirmou que quando ele tentava sair de casa, Heard o impedia e dizia que ela "morreria" sem ele. "Muitas vezes quando eu tentava sair, ela me parava no elevador com os seguranças, chorando, gritando, sabe, 'não vivo sem você. Eu vou morrer’. Mas eu tinha que sair", disse.

O ator contou que quando conseguia ''escapar" a ex-mulher o seguia até sua casa, mesmo de madrugada. "Cinco minutos depois ela chegava de camisola, gritando no estacionamento em frente à minha casa. Gritando, céus, seriam 4 da manhã, 3 da manhã", disse. "Foi ridículo, estava fora de controle, era incontrolável."

O astro de "Piratas do Caribe" relembrou que sua própria mãe, Betty Sue Palmer, havia entrado numa depressão profunda e tinha tentado cometer suicídio quando o pai dele, John Christopher Depp, decidiu deixar a família nos anos 1970. Segundo ele, essa experiência impactou na forma como encarava seu casamento com Heard.

"Eu queria tentar fazer dar certo. Achei que talvez pudesse ajudá-la, talvez eu pudesse trazê-la de volta. Porque a Amber Heard que eu conheci no primeiro ano, ano e meio não era essa, de repente essa adversária. Não era minha garota, ela se tornou minha adversária", disse.

No tribunal, o ator falou ainda de uma briga que teve com a ex-mulher que o deixou com a ponta do dedo decepada, durante uma viagem à Austrália para filmar "Piratas do Caribe", em 2015. Ele contou que Heard atirou duas garrafas de vodka em sua direção e uma delas causou o ferimento, obrigando a fazer uma cirurgia. "Eu estava olhando para meus ossos saindo", disse Depp, que mostrou fotos do dedo decepado para júri.

Heard –que manteve um comportamento frio durante a maior parte do julgamento– parecia à beira das lágrimas quando seu ex-marido contou sobre o dedo decepado durante a viagem à Austrália.

Com o processo que move contra Heard, Depp espera "limpar o registro" das alegações feitas contra ele após seis anos de tentativas. Ele admitiu que "o matou" ter sua reputação manchada e ter pessoas em sua vida pensando que ele era uma fraude e que mentiu.

O ator disse que ele, seus filhos e as pessoas que acreditaram nele todos esses anos não mereciam isso. Ele falou também que não queria que nenhuma dessas pessoas acreditasse que ele fez algo errado ou mentiu e que se orgulha da sua honestidade. "A verdade é a única coisa que me interessa", acrescentou.

Depp e Heard se conheceram no set de "The Rum Diary" em 2009, se casaram em 2015 e se envolveram em uma separação contenciosa por meses, com acusações de mau comportamento feitas por ambos os lados.

Antes de Heard, o ator foi casado durante dois anos com Lori Anne Allison e teve um relacionamento longo prazo com a atriz Vanessa Paradis , com quem tem dois filhos: Lily-Rose Depp e Jack Depp.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos