Jogo da discórdia prova que paredão entre Arthur, DG e Naiara é tão injusto como viver no Brasil

Jogo da discórdia teve os três emparedados em destaque (Foto: Reprodução/Globo)
Jogo da discórdia teve os três emparedados em destaque (Foto: Reprodução/Globo)

O jogo da discórdia não deixa de ser uma oportunidade para os emparedados mostrarem que merecem continuar no reality show da Globo. Na semana passada, por exemplo, Rodrigo e Natália souberam se defender melhor que Jessilane, mas a vontade do público é soberana e eliminou o participante mais comprometido com o jogo até aquele momento.

Nesta segunda-feira (7), a dinâmica que colocou fogo no parquinho mostrou que os três emparedados (Arthur, Douglas e Naiara) ainda têm lenha para queimar, o que é triste, pois um deles deixará a casa mais vigiada do Brasil nesta terça-feira (8). Enquanto isso, a casa continuará repleta de plantas e participantes que só despertam o ranço do público com falas e comportamentos problemáticos.

As enquetes apontam a eliminação de Douglas Silva. Nas redes sociais, a justificativa de muitos que desejam a saída do ator aborda sua falta de posicionamento e comprometimento com o programa. O jogo da discórdia, no entanto, mostrou que o intérprete de Acerola está mais envolvido com o reality que muitos participantes que até são esquecidos dentro da casa, como Brunna Gonçalves, Vinícius e Eslovênia.

Este conteúdo não está disponível devido às suas preferências de privacidade.
Para vê-los, atualize suas configurações aqui.

Douglas foi alvo da maioria na dinâmica desta segunda-feira (7). O que muitos fingem não enxergar é que o participante sofre uma pressão que o impede de tomar qualquer atitude. Quando Douglas reage, é chamado de agressivo e arrogante. Quando Douglas joga, como foi o caso em que tentou descobrir quem votaria nele, o acusam de fazer jogo sujo. Quando Douglas se cala, o que falam é que o brother não está disposto a entregar entretenimento. Sim, infelizmente, precisamos falar de racismo no "BBB 22".

Arthur Aguiar, por sua vez, tem motivos de sobra para continuar no programa. Alvo da casa e no jogo da discórdia por já ter entrado no reality cancelado, o ator mostra vontade de jogar e articular votos, mas tem sido julgado pelos outros participantes, que passam praticamente o dia todo falando dele e fazendo o mesmo. Jade Picon, que era sua "aliada", o indicou direto ao paredão após dizer que não faria isso e o público quer ver seu retorno triunfal. Arthur, até aqui, tem o enredo mais perfeito da temporada.

Já Naiara Azevedo, embora tenha estreado no programa como vilã, conseguiu reverter o cancelamento com uma amizade improvável: ela se aproximou de Linn da Quebrada, Natália e Jessilane. Mesmo com seus deslizes, a sister rende dentro do confinamento por incomodar os outros participantes. Outro ponto que tem sido interessante é a sua relação com Linna. As duas são muito diferentes, mas estão aprendendo a conviver. O acolhimento que ela tem oferecido para a participante trans tem chamado atenção nas redes.

Viver no Brasil é viver em um país racista, que mata pessoas marginalizadas e criminaliza corpos fora do padão apenas por um beijo. Vendido para o exterior como país da diversidade, o Brasil é hipócrita ao não assumir suas mazelas e se manter atrás da imagem de cordialidade. Eslovênia foi transfóbica três vezes com Linna, mas está longe do paredão - além de ter causado uma punição grave para toda casa na última semana. Laís e Bárbara tiveram falas racistas nesta semana, mas é Douglas, homem preto retinto, que está no paredão. Enquanto muitos dizem que o "BBB" é sobre entretenimento, plantas como Brunna e Tiago permanecem, enquanto Douglas, que é tido como "agressivo" quando ao menos tenta articular, pode sair e enfraquecer ainda mais o elenco. As enquetes reforçam, como cantava Elza Soares, que a carne mais barata do mercado é a carne negra.