Joaquin Phoenix faz discurso militante no Oscar e termina a noite com lanche vegano

MARINA LOURENÇO

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - Joaquin Phoenix venceu neste domingo (9) o Oscar 2020 na categoria de melhor ator, por seu trabalho no filme "Coringa", e agradeceu o prêmio com um discurso recheado de críticas às desigualdades sociais. Após a cerimônia, o ator foi fotografado comendo um lanche vegano com sua noiva, Rooney Mara, ao lado da estatueta adquirida. 

"Seja falando sobre desigualdade de gênero, racismo, direitos dos LGBTs, dos indígenas, ou dos animais, estamos falando sobre lutar contra a ideia de que uma nação, uma raça, um gênero ou uma espécie tem o direito de dominar, controlar, usar e explorar outros sem impunidade. Acredito que nos desconectamos demais do mundo natural e nos sentimos culpados por ter uma visão egocêntrica", disse Phoenix ao subir ao palco. 

O artista afirmou que não se sente superior a nenhum dos outros indicados ou a qualquer pessoa ali presente porque, segundo ele, todos compartilham do mesmo amor pelo cinema.

"Entramos no mundo natural e roubamos seus recursos. Nos sentimos no direito de inseminar artificialmente uma vaca e então roubar seu bebê quando ele nasce, mesmo que seus gritos de angústia sejam perceptíveis. E então bebemos o leite que é destinado ao bezerro e colocamos em nosso café e cereal. Quando usamos amor e compaixão como nossos princípios, podemos criar, desenvolver e implementar sistemas de mudança que são benéficos para todos os seres e ao meio ambiente", continuou ele emocionado.

Phoenix finalizou, então, seu agradecimento parafraseando um trecho de uma música do seu irmão River Phoenix: "vá ao resgate com amor, e a paz o seguirá".