Jennifer Aniston cortou relação com amigos antivacina nos EUA

·2 minuto de leitura
LOS ANGELES, CALIFORNIA - JANUARY 19: Jennifer Aniston attends the 26th Annual Screen Actors Guild Awards at The Shrine Auditorium on January 19, 2020 in Los Angeles, California. (Photo by Axelle/Bauer-Griffin/FilmMagic)
Jennifer Aniston sorri para os fotógrafos em evento realizado em 2020 (Photo by Axelle/Bauer-Griffin/FilmMagic)

Resumo da notícia:

  • Jennifer Aniston foi mais uma pessoa a cortar relações com pessoas por causa da vacinação durante a pandemia

  • "Ainda há um grande grupo de pessoas que são antivacina ou simplesmente não dão ouvidos aos fatos", disse ela

  • Para a Rachel de "Friends", todas as pessoas têm obrigação moral durante uma pandemia

Como muitos de nós, Jennifer Aniston também cortou relações com pessoas por causa da vacinação durante a pandemia do novo coronavírus. Em entrevista à revista In Style, a atriz de 52 anos lamentou a postura de pessoas negacionistas em seu núcleo social.

"Ainda há um grande grupo de pessoas que são antivacina ou simplesmente não dão ouvidos aos fatos. É uma pena. Acabei de perder algumas pessoas que faziam parte do meu dia a dia que se recusaram ou não revelaram (se foram vacinadas ou não), e foi lamentável", lamentou ela.

Leia também:

Para a Rachel de "Friends", todas as pessoas têm uma obrigação moral durante uma pandemia. "O complicado disso tudo, é que todo mundo tem direito à sua própria opinião, mas muitas opiniões não parecem baseadas em nada, exceto no medo ou propaganda”, apontou ela.

Na entrevista, Aniston revelou que precisou parar de assistir ao noticiário de canais de notícias durante a pandemia. “Eu realmente tive que parar. Não dava. Todos nós passamos pela fadiga da notícia, da fadiga do pânico, durante a pandemia. Esperávamos um dia acordar e ouvir algo esperançoso, e tudo o que conseguimos foi mais loucura", contou.

Baixe o app do Yahoo Mail em menos de 1 min e receba todos os seus emails em 1 só lugar

Siga o Yahoo Vida e Estilo no Google News

A estrela ainda falou do privilégio de morar nos Estados Unidos, país onde 68% dos adultos já receberam a primeira dose da vacinação. “Temos muita sorte e temos o privilégio de ter acesso às vacinas da COVID-19 nos Estados Unidos agora. Infelizmente, esse não é o caso em todos os lugares. E como sabemos, a saúde de um de nós afeta a todos nós. Fico pensando em quem não tem ou não terá a oportunidade de se vacinar e abraçar seus amigos e familiares [que já se foram]”, finalizou.

Ouça o Pod Assistir, podcast de filmes e séries do Yahoo:

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos