Jeniffer Nascimento diz que 'Malhação - Sonhos' a permitiu explorar suas paixões

MARIANA ARRUDAS
·4 minuto de leitura
*ARQUIVO* SÃO PAULO, SP, 12.03.2020 - A atriz Jennifer Nascimento durante evento em São Paulo. (Foto: Greg Salibian/Folhapress)
*ARQUIVO* SÃO PAULO, SP, 12.03.2020 - A atriz Jennifer Nascimento durante evento em São Paulo. (Foto: Greg Salibian/Folhapress)

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - Jeniffer Nascimento, 27, diz que revisitar seu primeiro trabalho como atriz em "Malhação - Sonhos" (2014), em reprise na Globo, traz muita diversão e saudosismo. "Às vezes, eu penso que nem sou eu, porque já faz tanto tempo", diz a também cantora, em tom de brincadeira. "Mas hoje meu trabalho de atriz é bem diferente do que era ali na época."

Tal qual a artista, a personagem Sol é apaixonada pela arte e pela música. Ela conta que acompanha a novela e fica feliz em rever tantas pessoas que ama. "Diversas vezes eu me emociono muito", diz a atriz sobre a trama e sobre rever as aparições de Iná de Carvalho, que interpretou a avó de Duca (Arthur Aguiar), que morreu em 2019 em decorrência de uma doença pulmonar crônica.

"Era uma das minhas maiores parceiras na 'Malhação'. Criamos uma relação muito legal dentro e fora do set, nós éramos uma família mesmo", diz Nascimento, que aguarda com ansiedade o retorno do musical "Donna Summer Musical", que estreou em 2020 dias antes do agravamento da pandemia.

Nascimento afirma que seu papel na novela trouxe realizações além de profissionais, pessoais. "Passei pela minha transição capilar por causa de Sol", afirma. "E graças a ela, eu conheci o meu marido, Jean Amorim. Nós nos conhecemos nos testes da 'Malhação'". Em homenagem a essa personagem tão marcante, a atriz tem tatuada a clave de sol, e deu o nome de Sol para sua cachorrinha.

Fora das novelas, Jeniffer Nascimento é repórter do programa The Voice (Globo), ao lado do jornalista e apresentador Tiago Leifert, atração que retorna para uma nova temporada no segundo semestre deste ano. "O programa me deu a oportunidade de explorar outro lado, de apresentar, entrevistar pessoas, e de ver como eu sou em cena, diferente de um personagem, como eu falo com as câmeras."

A atriz afirma que teve contato com a música antes mesmo da televisão. Vinda dos teatros musicais, ela venceu o programa Fábrica de Estrelas (Multishow, 2013), que deu origem ao grupo Girls. "Infelizmente [o grupo] não deu certo e durou só oito meses", diz a artista, que cinco anos depois se sagrou vitoriosa no reality Pop Star (Globo).

Para ela, estar em programas de música abriria portas para mostrar outras facetas como artista e ficar conhecida nacionalmente. "Lembro de quando fiz o Pop Star, e falei: 'Eu quero fazer o Pop Star para as pessoas saberem quem é a Jeniffer Nascimento, porque até hoje muita gente na rua me chama de Sol'."

Nascimento afirma que quer lançar um single ainda neste ano. "Provavelmente vai ser de pagode", diz a artista, que já gravou músicas com Jorge Vercillo ("Melhor Lugar") e Péricles ("Casal Maluco"). Para ela, cantar para a televisão foi muito diferente de suas experiências em palcos e estúdios. "Muita gente pensava que eu dublava", diz a atriz, ao recordar que sempre fazia vários ajustes para atingir um bom resultado nas cenas em que a personagem soltava a voz.

"Decidimos que gravaríamos a música antes da gravação, no estúdio com a voz e os instrumentos", diz a atriz ao ressaltar que a decisão de realizar dessa forma foi dela em conjunto com a equipe. "Quando chegássemos no set, eu iria cantar ao vivo, mas de forma que sincronizasse com a música já pronta."

Além de seu trabalho e participações em realities, a atriz esteve em outros projetos na Globo. Ela atuou em novelas, como "Êta Mundo Bom!" (2016), "Pega Pega" (2017) e "Verão 90" (2019). "Eu consegui, ao longo desses sete anos, traçar uma trajetória duradoura na casa", afirma Nascimento. "E ela [Globo] me deu oportunidade de explorar minhas outras paixões."

Fora das telas, pouco antes da pandemia, a atriz estava em cartaz com o musical "Donna Summer Musical", dirigido por Miguel Falabella, no qual interpreta Donna no auge da carreira. Na trilha sonora, há clássicos como "I Feel Love", "Love to Love You, Baby", "Hot Stuff" e "Last Dance". "Acreditávamos que iria parar por duas semanas, não por um ano. Quando o espetáculo parou foi muito louco."

Nascimento afirma que só acreditará no retorno aos palcos "no momento em que estiver no teatro atrás da cortina". A atriz diz que ama fazer o musical e que está ansiosa para estar "em cima do palco de novo". A previsão de estreia atual é para o dia 18 de março, mas com o avanço da pandemia no país, deve ser adiada. "Já tivemos que adiar cerca de três vezes a data."

Nesta terça-feira (9), o Brasil bateu os recordes de mortes em um único dia e de média móvel de óbitos. Foram 1.954 vidas perdidas registradas nas últimas 24 horas, o que elevou a média móvel de mortes para 1.572 -trata-se do 11º dia seguido de recorde. No período da quarentena, Nascimento diz que começou a cuidar mais de si, como treinos na academia, cursos de terapia holística e aulas de inglês. "Investi muito em autoconhecimento", afirma.