Janja volta a celebrar moda brasileira em look escolhido para posse de Lula; saiba detalhes

Escolha da socióloga foi assinada pela estilista brasileira Helô Rocha

Terninho com detalhes dourados foi a escolha de Janja Silva para acompanhar Lula na posse como presidente; figurino foi desenhado pela estilista brasileira Helô Rocha e faz parte da iniciativa da primeira-dama de celebrar a moda nacional (Foto: AFP)
Terninho com detalhes dourados foi a escolha de Janja Silva para acompanhar Lula na posse como presidente; figurino foi desenhado pela estilista brasileira Helô Rocha e faz parte da iniciativa da primeira-dama de celebrar a moda nacional (Foto: AFP)

Luiz Inácio Lula da Silva assume o seu terceiro mandato como Presidente da República neste domingo (1º). Esposa do petista, a socióloga Rosângela Silva, a Janja, manteve segredo sobre o look que usaria na posse do marido, revelado apenas no evento.

O figurino foi desenhado pela estilista brasileira Helô Rocha, que também foi responsável pelo vestido de casamento de Janja. "Queria vestir algo que tivesse simbolismo para o Brasil, para os estilistas, para as cooperativas e para as mulheres brasileiras", declarou à revista "Vogue Brasil".

Este conteúdo não está disponível devido às suas preferências de privacidade.
Para vê-los, atualize suas configurações aqui.

Interessada por moda nacional, a primeira-dama - que não gosta de ser reconhecida pelo título - afirmou que quer aproveitar os seus holofotes para dar visibilidade a produções e estilistas brasileiros: "A moda não é só um aspecto muito importante da cultura brasileira como é um motor da economia", declarou.

"Estou conhecendo mais sobre esse assunto. Tenho conversado com estilistas, aprendido bastante", acrescentou. "Quero carregar os estilistas brasileiros aonde for. Mostrar para o mundo, abrir portas de comércio, de oportunidades. Se puder contribuir, vou ajudar."

Apesar da iniciativa, Janja é adepta de looks mais casuais, como os usados durante a campanha do marido para a presidência: "Uso tênis com calça, saia, shorts. Outro dia, cheguei ao CCBB para uma reunião e estavam todas as secretárias de salto alto. Levantei o pé, mostrei o tênis e disse: 'está instaurada a democracia do tênis'", brincou ao longo da entrevista.

Porém, a socióloga se incomoda quando não a levam a sério por causa do seu jeito despojado de se vestir: "É uma construção idiota. A pessoa tem que se vestir como se sente bem. E saber como e para que está vestida. Obviamente que não vou de jeans e tênis em uma recepção com presidentes", disparou.

"A relação com a moda pode ser mais desapegada de protocolos. Não é porque você é deputada que precisa estar de terninho e saia. Ou se você é mulher do presidente tem que usar vestido abaixo do joelho, careta", acrescentou Janja.