Janja celebra Milton Nascimento no Altas Horas e lembra encontro com o cantor

*Arquivo* SÃO PAULO, SP, 24.09.2022 - A socióloga Rosângela Silva, a Janja, mulher de Lula, discursa durante campanha do presidenciável na praça Jardim Myrna, no Grajaú, zona sul de São Paulo. (Foto: Danilo Verpa/Folhapress)
*Arquivo* SÃO PAULO, SP, 24.09.2022 - A socióloga Rosângela Silva, a Janja, mulher de Lula, discursa durante campanha do presidenciável na praça Jardim Myrna, no Grajaú, zona sul de São Paulo. (Foto: Danilo Verpa/Folhapress)

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - A primeira-dama Janja Lula da Silva esteve na plateia do Altas Horas, da Globo, na noite deste sábado (7). O programa homenageava o cantor e compositor Milton Nascimento, que anunciou a aposentadoria dos palcos em turnê no ano passado. O ministro dos Direitos Humanos e da Cidadania, Silvio Almeida, também esteve presente na homenagem.

Ao ser anunciada pelo apresentador Serginho Grosmain, Janja foi aplaudida calorosamente pelo público. Em dado momento, explicou sua relação com Milton, de que em era fã desde a juventude. Nesse momento, Grosmain disse que o amor estava no ar.

"Eu tinha uma camiseta dessa do Milton quando era adolescente e usava muito, com muito orgulho. Quando era universitária, ia para um bar em Curitiba chamado Trem Azul [nome de uma canção de Milton] e é muita emoção. Eu e Milton nos encontramos logo depois do segundo turno das eleições e não conseguia nem falar, só sabia chorar. Beijei sua mão e agradeci por você existir e por dar voz a esse mundo. Obrigada, Milton", disse Janja.

Silvio Almeida, ministro dos Direitos Humanos e da Cidadania, também fez uma intervenção.

"Milton, você é a dimensão mais bem acabada de porque devemos acreditar no Brasil. Por que o Brasil, com todas as suas contradições e mazelas, nos deu o Milton Nascimento, esse artista que nos lembra e nos faz ver que o Brasil é um lugar de excelência, é um país que conseguiu produzir a síntese mais bonita do encontro do Brasil com a África e com a América Latina. Acredito que isso personifica na sua voz, nas suas canções. Milton, estamos aqui para celebrar a vida de um dos maiores cantores do mundo. Obrigado por nos lembrar todos os dias de acreditar no Brasil", afirmou Almeida.

Em seguida, Milton entoou a canção "Coração de Estudante", que marcou os anos de chumbo da ditadura militar, e disse, ao final, "viva a Democracia!".

A celebração teve ainda a presença de Liniker, Maria Gadú, Samuel Rosa e Zé Ibarra, que foi backing vocal de sua banda. Já no palco da banda Altas Horas, Duda Beat, Pitty e Sandy também interpretaram clássicos de seu ídolo. Thomas, filho de Serginho Groisman, de sete anos, também apareceu durante o programa para abraçar o cantor.