James Gunn fala sobre sua demissão na Marvel Studios

·1 minuto de leitura

Em 2018, James Gunn foi demitido da Marvel após ressurgir várias postagens antigas com "piadas" sobre estupro e pedofilia. E nesta quarta-feira (14), durante entrevista ao THR, o diretor do novo Esquadrão Suicida comentou sobre como foi sua demissão e o que acha sobre a cultura do cancelamento. 


"Liguei para Kevin [Feige] na manhã em que estava acontecendo e disse: 'Isso é importante?'. E ele disse: 'Não sei'. Mais tarde ele me ligou - ele mesmo estava em choque - e disse que os poderes constituídos haviam decidido [demiti-lo]. Foi inacreditável. E por um dia, parecia que tudo havia acabado".


"Eu entendo e aceito as decisões de negócios tomados hoje", continuou Gunn. "Eles não refletem a pessoa que sou hoje ou já faz algum tempo". O diretor também falou o que acha sobre a "cultura do cancelamento". "A cultura do cancelamento também é para pessoas como Harvey Weinstein, que deveria ser cancelado. Pessoas que foram canceladas e continuam canceladas, pois de fato, a maioria dessas pessoas mereciam isso". 


O Esquadrão Suicida, próximo projeto de Gunn, tem estreia marcada para 6 de agosto nos cinemas. 


Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos