Rixa entre governo Bolsonaro e Globo é antiga: relembre conflitos

Presidente já fez uma live horas depois do principal jornal da emissora para rebater acusações - Foto: Facebook/Reprodução

Por conceito, veículos de imprensa e autoridades políticas não devem estabelecer uma amizade. Ainda assim, a relação entre o governo de Jair Bolsonaro (sem partido) e o Grupo Globo parece uma das mais conturbadas da história da democracia brasileira.

Baixe o app do Yahoo Mail em menos de 1 min e receba todos os seus emails em 1 só lugar

Siga o Yahoo Notícias no Google News

O último episódio aconteceu na última segunda-feira (09) quando Bolsonaro foi a uma rede social dizer que a TV Globo tratou “um criminoso como vítima” em matéria que tratava sobre a solidão de pessoas transexuais no sistema carcerário brasileiro.

"Enquanto a Globo tratava um criminoso como vítima, omitia os crimes por ele praticados: estupro e assassinato de uma criança. Graças à internet livre, o povo não é mais refém de manipulações. Infelizmente a Constituição não permite prisão perpétua para crimes tão cruéis", escreveu Bolsonaro.

Relembre outros capítulos da novela Governo Bolsonaro x Grupo Globo:

  1. Caso Marielle

Após reportagem da TV Globo dizendo que Jair Bolsonaro foi citado nas investigações da morte da Marielle Franco, o presidente foi ao facebook para rebater. O presidente fez duras críticas à Globo, dizendo que o canal de televisão “inferniza” sua vida e ameaçou cassar a concessão da emissora em 2022.

“Vocês, TV Globo, o tempo inteiro infernizam a minha vida, p*** […] Agora, Marielle Franco, querem empurrar pra cima de mim? Patifes, canalhas, não vai colar! Não devo nada a ninguém”, disse o presidente visivelmente alterado. “Não tinha motivo nenhum para matar alguém no Rio de Janeiro", disse Bolsonaro que no mesmo dia ameaçou cassar a concessão da emissora.

O vereador Carlos Bolsonaro (PSC-RJ), filho do presidente, divulgou em suas redes sociais, imagem e áudio que, segundo ele, foram tirados do sistema que grava as ligações feitas da portaria do Condomínio Vivendas da Barra. Para Carlos, o material provava que a emissora “preferiu levantar suspeitas contra o Presidente e alimentar narrativas criminosas".

  1. “Quer desestabilizar o país”

Enquanto os chilenos protagonizavam os maiores protestos da história recente da América Latina, governo Bolsonaro e TV Globo seguiam sua contenda. O chefe do GSI (Gabinete de Segurança Institucional), general Augusto Heleno afirmou que emissora quis “desestabilizar” o país e “fomentar” manifestações populares como as que ocorreram no Chile e em outros países do continente.

"Rede Globo, sensacionalista, ignorou a ética, a honestidade intelectual e os fatos para tentar ligar o Presidente da República ao caso Marielle. Usou, levianamente, o depoimento de um porteiro, com o objetivo de desestabilizar o Presidente Bolsonaro a qualquer custo (...) Tentam criar fato político que desestabilize o país e fomente violentas manifestações, como as que ocorrem em outros países da América Latina. Não querem o bem do Brasil, desejam apenas a volta dos seus privilégios. O povo brasileiro não permitirá que atinjam seus nefastos propósitos", escreveu o general.

  1. Empresa ditatorial

Ao responder a uma pergunta sobre o aniversário de 50 anos do Jornal Nacional, o presidente ironizou o fato de a emissora ter sido fundada em 1965 durante a ditadura militar.

Ao sair do Palácio da Alvorada para cumprir uma agenda em Anápolis (GO), Bolsonaro respondeu a uma pergunta sobre o aniversário de 50 anos do Jornal Nacional e ironizou o fato de a TV Globo ter sido fundada em 1965, durante a ditadura militar.

"Olha só imprensa brasileira, vocês falam tanto em ditadura. Ela [ditadura] se prima, entre outras coisas, por fechamento de jornais, rádio e televisões. A TV Globo nasceu em 1965, é uma empresa então ditatorial", disse Bolsonaro à época.

Na mesma ocasião ele ainda afirmou que o Jornal Nacional, principal telejornal da emissora, não tinha mais “teta” ou “propaganda oficial do governo”.

  1. “Fábrica de mentiras”

Depois do jornal o Globo publicar uma matéria informando que o Ministério da Educação e da Cultura disponibilizaria um voucher de creches no valor de R$ 75 reais, o ministro Abraham Weintraub se revoltou em uma rede social.

“Família Marinho e seu jornalismo lixo. Matéria com título novamente MENTIROSO. Não serão R$ 75 reais por mês! MENTIRA! Não serão (sic) R$ 1 bilhão por ano! MENTIRA! LIXO!!! Tenho nojo dessa fábrica de mentira!!!”, protestou o ministro.

  1. Hienas

Em outubro do ano passado, Bolsonaro publicou um vídeo um tanto incomum. Nele, o presidente aprece como um leão cercado e acuado por hienas em um campo aberto. Tudo isso acompanhada de uma trilha sonora digna de filmes épicos de Hollywood.

Entre os inimigos estavam a TV Globo e outro veículos de imprensa como os jornais Folha de S.Paulo e O Estado de S. Paulo. À época, o vídeo espantou também por representar até o Partido Social Liberal (PSL), partido do qual Bolsonaro ainda fazia parte, como um inimigo do presidente.

Siga o Yahoo Notícias no Instagram, Facebook, Twitter e YouTube e aproveite para se logar e deixar aqui abaixo o seu comentário.