Regina sem órgão? Governo de Bolsonaro quer fechar a Cinemateca Brasileira

Regina Duarte ainda não foi exonerada da Secretaria Especial de Cultura do Ministério do Turismo (Agência Brasil/Antônio Cruz)

Regina Duarte volta a ganhar os holofotes nesta sexta-feira (29) e provavelmente na próxima semana. Representantes da Secretaria Especial da Cultura e Audiovisual do Governo de Jair Bolsonaro propuseram fechar a Cinemateca Brasileira.

Baixe o app do Yahoo Mail em menos de 1 minuto e receba todos os seus e-mails em um só lugar

Siga o Yahoo Vida e Estilo no Google News

Siga o Yahoo Vida e Estilo no InstagramFacebook e Twitter, e aproveite para se logar e deixar aqui abaixo o seu comentários

A proposta aconteceu durante uma reunião calorosa entre a Secretaria e a Associação de Comunicação Educativa Roquette Pinto (Acerp), que administra o local. A proposta foi rejeitada pela associação que acionará o conselho administrativo para tomar ações legais.

Leia também

Eles querem que o Governo seja proibido de tomar decisões de forma unilateral e que pague o valor de R$ 11 milhões que deve à entidade referente aos gastos de gestão de 2019.

Além de fechar a Cinemateca, o Governo quer também interromper todos os projetos em andamento na instituição. O ato resultará na demissão de 150 funcionários, em sua maioria técnicos. Alguns deles tem mais de 40 anos de instituição.

O Governo não apresentou ideias de como arquivaria, ou faria a manutenção, dos milhares de filmes e vídeos que estão no acervo da instituição que contam a história do audiovisual brasileiro.

A coluna ainda afirma que a Regina Duarte, até hoje secretária especial de Cultura, deve ganhar um cargo DAS (Direção e Assessoramento Superior) cujo o salário é de R$ 15 mil e não tem função definida, já que o órgão prometido pelo presidente pode ser encerrado.