Jackson Follmann, vencedor do PopStar, diz que conseguiu se reinventar cantando no programa

***FOTO DE ARQUIVO*** SÃO PAULO, SP, 07.01.2017 - Jackson Folmann, ex-goleiro da Chapecoense, sobrevivente do acidente aéreo do clube, no Instituto de Prótese e Órtese, em São Paulo, durante sessão de adaptação da prótese. (Foto: Moacyr Lopes Junior/Folhapress)

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - Vencedor da última edição do PopStar (Globo), o ex-goleiro da Chapecoense Jakcson Follmann, 27, diz que agora tem ainda mais torcida por ele. Segundo o esportista, a competição foi importante para que ele pudesse se reinventar após o acidente com o avião da Chape, em 2016.

"Cantava em casa para os familiares e amigos. Me arrisquei cantar em alguns festivais. Nada profissional. Foi um desafio muito legal. Você pode se reconstruir e reinventar. Fico feliz de poder encarar esse desafio de forma positiva", disse ele, no Encontro com Fátima Bernardes desta quinta-feira (2).

Chegar à final, para ele, foi uma surpresa. "Não esperava chegar até a final dessa maneira. Quando a gente aceita o convite, estava ciente que estaria ali para ser avaliado. E desde a primeira apresentação sempre foi um grande desafio. Ainda mais que não sou da TV. Cada domingo era um sensação incrível. Deu tudo certo. O feedback foi maravilho. Obrigado pela torcida", emendou.

PopStar chegou ao fim no domingo (29) com algumas surpresas e com competidores explorando ritmos bem diferentes para buscar a vitória e o prêmio de R$ 250 mil. A disputa inicial ficou entre Danilo Vieira, Eriberto Leão, Helga Nemeczyk, Jakson Follmann, Totia Meireles e Yara Charry. Helga ficou em segundo lugar.