J.J. Abrams fala sobre o processo criativo na direção de grandes franquias

·2 minuto de leitura

Em uma recente entrevista ao Collider, J.J Abrams comentou o que aprendeu com o processo criativo da direção de Star Wars: O Despertar da Força, Star Wars: A Ascensão Skywalker, entre outros projetos fora da franquia.


"Estive envolvido em vários projetos que foram - na maioria dos casos, séries - que têm ideias que começam onde você sente que sabe para onde vai, e às vezes, é um ator que vem, outras vezes é uma relação que como está escrita não funciona bem, e coisas que acha que serão tão bem recebidas simplesmente quebram e queimas e outras coisas que você pensa 'Esse é um pequeno momento' ou um personagem que de repente se tornou uma parte extremamente importante da história", disse o cineasta.


"Há projetos em que trabalhei nos quais tínhamos algumas ideias, mas não havíamos trabalhado com eles o suficiente, às vezes tínhamos algumas ideias, mas não tínhamos permissão para fazê-las da maneira que queríamos", continuou.


Abrams conta que aprendeu da forma mais difícil que é melhor ter um plano e no fim ele sair diferente do planejado, do que ir com as mãos vazias. "Você nunca sabe realmente, mas ter um plano é a coisa mais crítica, porque senão você não sabe o que está configurando. Você não sabe o que enfatizar. Porque se você não sabe o inevitável da história, se é tão bom quanto a sua última sequência ou o que quer que seja, mas você estar levando alguma ideia original é algo inevitável", finalizou.


Assumir a direção de Star Wars: Despertar da Força, foi um divisor para a carreira de Abrams, onde estaria dando continuação com a franquia mais famosa do cinema.


Ele também dirigiu Super 8, filme de 2011, que mostra a história de um grupo de jovens que testemunham uma catastrófica colisão. O longa é estrelado por Elle Fanning e Joel Courtney.