Itália recebe obras de arte antigas saqueadas que estavam nos EUA

Ministério da Cultura italiano apresenta relíquias devolvidas pelos EUA

ROMA (Reuters) - A Itália celebrou nesta segunda-feira a devolução de 60 artefatos arqueológicos saqueados no valor de mais de 20 milhões de dólares, muitos dos quais que estavam em exibição no Metropolitan Museum of Art em Nova York, antes de sua origem ilícita ser descoberta.

Os itens, que as autoridades norte-americanas entregaram a colegas italianos em setembro incluem "A Cabeça de Mármore de Atena", avaliada em 3 milhões de dólares, e um afresco roubado de Herculano, uma antiga cidade romana perto de Pompéia.

Além de seu valor comercial, as obras de arte recuperadas são de "importância inestimável" para a identidade histórica, artística e cultural da Itália, disse o chefe do esquadrão de arte da polícia Carabinieri, general Vincenzo Molinese, em entrevista coletiva.

Em setembro, o Ministério Público de Manhattan disse que as antiguidades foram vendidas por saqueadores condenados, e algumas acabaram na coleção do bilionário gerente de hedge funds Michael Steinhardt.

A Itália há muito tem problemas com saques e contrabando de seu patrimônio artístico e arqueológico, mas os Carabinieri insistem que estão se tornando mais eficazes em rastrear e recuperar obras de arte roubadas.

Para mostrar seus esforços, o chamado Museu de Arte Resgatada foi inaugurado no ano passado em Roma, exibindo dezenas de estátuas, jarros, urnas, pratos e moedas em uma seção das Termas de Diocleciano, outrora o maior spa do império romano.

(Reportagem de Cristiano Corvino)