Independentes, solitários e teimosos: confira oito mitos e verdades sobre os gatos

Foto: Reprodução/Pixabay

Por Fabiana Bertagnolli

Peludinhos, protagonistas de vários memes e reis nas buscas de vídeos fofos na internet.
Invejosos dirão que é mentira, mas, de pulo em pulo, os gatos arrancam sorrisos e conquistam
mais e mais admiradores dentro e fora das redes.

O certo é que muitas crendices rondam o imaginário popular a respeito dos gatos: eles são
mesmo traiçoeiros? Não atendem pelo nome? Em busca dessas e de outras respostas, listamos
oito mitos e verdades sobre os felinos.

São mais independentes que os cães
Verdade – Diferentemente dos cães, que costumam caçar em matilhas na natureza, os felinos
são animais solitários. Eles não necessitam de companhia constante e não sofrem tanto
quando ficam desacompanhados. “Mas, assim como outros animais, precisam da presença de
seus tutores, seja para carinho ou para fornecer seus cuidados básicos”, explica Stephânia K.
Melo, veterinária sócia da Live – Centro de Referência em Diagnóstico Veterinário.

São animais traiçoeiros
Mito – Muito dessa fama vem por conta dos seus ancestrais e companheiros de espécie, que
na vida selvagem preparam um bote para capturar suas presas. No entanto, isso não se aplica
a gatos domésticos. “Infelizmente, essa fama apenas abre precedente para a cultura de
abandono e de maus tratos”, afirma Stephânia. Cabe ao tutor entender e respeitar os limites
do seu animal – a maioria, por exemplo, não aceita carinho na barriga e pode se irritar com
isso.

Não se dão bem com outros animais
Em partes – Assim como os cães, cada gato tem a sua personalidade. De fato, animais mais
idosos que nunca tiveram contato com outros bichos podem não receber bem uma nova
companhia. No entanto, havendo paciência para a adaptação entre eles, a chance de surgir
uma grande amizade é grande. “Gatos se adaptam muito bem a outros animais”, declara a
veterinária. Além disso, ter um companheiro evita que seus móveis sejam o principal
playground dele.
São mais difíceis de adestrar do que cães
Mito – De acordo com Stephânia, gatos são tão fáceis de adestrar quanto cães. “As técnicas
empregadas são sempre as mesmas, focando sempre em reforço positivo”, completa.

Não atendem pelo nome
Mito – Na verdade, gatos reconhecem seu nome, mas só atendem quando querem. “Nem
sempre estão receptivos ou interessados no chamado, por isso acabam ignorando”, afirma a
veterinária. Vamos combinar, você fazia o mesmo quando sua mãe te chamava para limpar a
cozinha, não fazia?

Se adestrados, podem andar de coleira
Em partes – Poder, eles até podem, mas não é recomendado pois se assustam facilmente.
“Não esquecer de, sempre que sair à rua, certificar-se que seu animal está vacinado e procure
lugares calmos”, orienta a profissional. Fora isso, eles jamais devem sair sozinhos. “Gatos com
acesso à rua correm risco de pegar doenças em brigas com outros animais e até de morrer
envenenados ou atropelados”, completa.

Não precisam de banho
Mito – Apesar de serem limpinhos e passarem horas se limpando, o banho de língua é apenas
uma parte do processo de limpeza, segundo a veterinária. No entanto, não existe a
necessidade de banhos regulares como nos cães. “Banhos com frequência devem ser evitados,
pois são fator de estresse para gatos, podendo desencadear problemas”, explica.

São úteis para caçar ratos
Mito – O controle de pragas urbanas deve ser realizado com instrumentos específicos e jamais
ficar a cargo de um animal doméstico. “Algumas pragas podem até transmitir doenças para
eles”, comenta Stephânia. É sabido que gatos gostam de levar presentinhos para seus donos,
geralmente insetos e animais de pequeno porte, mas não conte com isso para evitar a
presença de bichos peçonhentos na sua residência. A sua saúde e a do seu bichinho
agradecem!