Imortalizado por Skank e Ivete: as músicas mais regravadas de Erasmo Carlos

Erasmo Carlos no Latin Recording Academy Special Awards durante a 19ª edição do Latin Grammy Awards em novembro de 2018 em Las Vegas, Nevada. (Foto: John Parra/Getty Images for LARAS)
Erasmo Carlos no Latin Recording Academy Special Awards durante a 19ª edição do Latin Grammy Awards em novembro de 2018 em Las Vegas, Nevada. (Foto: John Parra/Getty Images for LARAS)

Aos 81 anos, o cantor e compositor Erasmo Carlos morreu nesta terça-feira (22). Um dos pioneiros do rock brasileiro, o Tremendão deixa mais de 750 composições em seu legado e mais de 700 gravações cadastradas na gestão coletiva.

Com base em dados divulgados pelo Ecad (Escritório Central de Arrecadação e Distribuição), todas as 12 canções mais regravadas do artista foram escritas em parceria com Roberto Carlos. Entre elas, estão faixas imortalizadas nas vozes de Skank, Jota Quest, Milton Nascimento, Ivete Sangalo e muito mais. Confira o ranking abaixo:

  1. “Emoções” - Erasmo Carlos / Roberto Carlos

  2. “Jesus Cristo” - Erasmo Carlos / Roberto Carlos

  3. “Nossa Senhora” - Erasmo Carlos / Roberto Carlos

  4. “Detalhes” - Erasmo Carlos / Roberto Carlos

  5. “Sentado à Beira do Caminho” - Erasmo Carlos / Roberto Carlos

  6. “Se Você Pensa” - Erasmo Carlos / Roberto Carlos

  7. “Olha” - Erasmo Carlos / Roberto Carlos

  8. “É Preciso Saber Viver” - Erasmo Carlos / Roberto Carlos

  9. “Proposta” - Erasmo Carlos / Roberto Carlos

  10. “Cavalgada” - Erasmo Carlos / Roberto Carlos

  11. “De Tanto Amor” - Erasmo Carlos / Roberto Carlos

  12. “Quero que Vá Tudo pro Inferno” - Erasmo Carlos / Roberto Carlos

Na última década, o cantor Erasmo Carlos teve mais de 85% de seus rendimentos em direitos autorais provenientes dos segmentos de rádio, shows e TVs. Segundo a Ecad, seus herdeiros continuarão recebendo os rendimentos por 70 anos após sua morte, como determina a lei do direito autoral.

Nascido no Rio de Janeiro, em 5 de junho de 1941, Erasmo Carlos deixa um legado de mais de cinco décadas de carreira. Um dos pioneiros do rock brasileiro, ele foi o maior parceiro musical de Roberto Carlos com diversas composições e produções em conjunto, como os clássicos "Minha Fama de Mau", de 1965, "É Preciso Saber Viver", de 1968, "É Proibido Fumar", de 1972, e "Sentado à Beira do Caminho", de 1980.

Inspirado principalmente por Elvis Presley, o cantor chegou a integrar a banda Renato e Seus Blue Caps na década de 1960 com versões brasileiras de músicas internacionais. Anos depois, elencou o trio formado por ele, Roberto Carlos e Wanderleia no icônico programa Jovem Guarda, onde foi apelidado de Tremendão.

Wanderléia, Erasmo Carlos e Roberto Carlos na comemoração de 50 anos de carreira de Roberto na Globo (Rafael França/TV Globo)
Wanderléia, Erasmo Carlos e Roberto Carlos na comemoração de 50 anos de carreira de Roberto na Globo (Rafael França/TV Globo)

O projeto da Record TV encabeçou o movimento cultural a partir de 1965, marcado pela ascensão do rock e influências de grupos gringos como os Beatles. Essa irreverência ditou a música, o comportamento e a moda de gerações fascinadas pelos três cantores e apresentadores.

Com mais de 600 músicas gravadas em mais de 30 discos, Erasmo fica eternizado na voz de grandes sucessos como "Filho Único", "Mulher (Sexo Frágil)", "Gatinha Manhosa", "Festa de Arromba" e "Vem Quente Que Eu Estou Fervendo", que marcaram os longos anos de sua trajetória musical.

Em 2019, o artista ganhou uma cinebiografia estrelada por Chay Suede com a história de seus primeiros passos na estrada musical até virar um dos maiores símbolos do rock nacional. "Pô, bicho. Você me fotografou muito bonzinho. Eu era um pouco mais mauzinho", brincou Erasmo Carlos, como contou o diretor Lui Farias ao "UOL", quando viu o filme pela primeira vez.

Erasmo Carlos arrives at the Latin Grammy special merit awards at the Four Seasons Hotel, Tuesday, Nov. 13, 2018, in Las Vegas. (Photo by Eric Jamison/Invision/AP)
Erasmo Carlos na edição de 2018 do Grammy Latino, em Las Vegas (Foto: Eric Jamison/Invision/AP)

Seu último álbum foi lançado no início de 2022, intitulado "O Futuro Pertence À...jovem Guarda". O disco fechou sua carreira com chave de ouro ao trazer releituras de hits de artistas da Jovem Guarda e foi celebrado com um Grammy Latino.