Ikea pagará valor recorde de R$ 187 milhões por morte de criança em móvel

Comissão de Proteção ao Consumidor dos Estados Unidos demosntrou instabilidade do móvel num teste em junho de 2016 (Foto: Carlos Hamann/AFP via Getty Images)

A fabricante sueca de móveis Ikea pagará uma indenização equivalente a R$ 187 milhões aos pais de um menino de dois anos que morreu após uma cômoda cair sobre ele.

SIGA O YAHOO FINANÇAS NO INSTAGRAM

BAIXE O APP DO YAHOO FINANÇAS (ANDROID / iOS)

Em maio de 2017, um móvel da linha Malm — que já havia passado pelo maior recall da marca um ano antes — caiu sobre Josef Dudek na Califórnia. As lesões na garganta induziram a morte por asfixia.

Leia também

Os pais entraram com ação contra a empresa em 2018, sob a acusação de "não tomar as medidas adequadas para melhorar a segurança e estabilidade de suas cômodas."

Esta semana, família e Ikea chegaram ao acordo milionário, o maior já pago em caso de morte infantil nos Estados Unidos.

Em 2016, o grupo sueco já havia pago US$ 50 milhões a três famílias de crianças de morreram em acidentes que envolviam as cômodas.

"Permanecemos com a determinação de trabalhar de forma pró-ativa e colaborativa sobre esse assunto de segurança doméstica", disse um porta-voz do grupo à AFP.

Além da quantia, o acordo estipula que a Ikea faça um esforço maior para contactar outros clientes que tenham comprado cômodas da linha Malm ou outros produtos semelhantes.

Em 2016, um recall de 36 milhões de unidades na América do Norte e de 1,6 milhão na China foi anunciado, após acidentes que provocaram a morte de seis crianças e ferimentos em outras 30 nos EUA.

Na época, a empresa orientou que compradores da peça a utilizassem fixada à parede.