Humorista russo pode pegar 8 anos de prisão por debochar de autoridades

·1 min de leitura
Ator Andrei Neretin, que participa de vídeo satírico russo, em foto de divulgação

Por Anton Zverev

MOSCOU (Reuters) - Um cineasta satírico russo foi acusado de vandalismo nesta quarta-feira e pode ficar preso durante até oito anos por causa de um esquete no YouTube no qual uma autoridade local fictícia explode um ponto de ônibus acidentalmente, disse seu advogado à Reuters.

Mais de 1,78 milhão de pessoas assistiram o vídeo de 20 de setembro "Vitaly Nalivkin evitou um ato terrorista", no qual o funcionário atrapalhado tenta destruir uma sacola suspeita em um ponto de ônibus atirando nela com um lançador de granadas. A sacola, como se vê depois, estava cheia de cenouras.

Andrei Klochkov, que dirigiu o esquete, foi acusado pela polícia e pode receber uma pena de cinco a oito anos de prisão se condenado, segundo seu advogado, Alexei Kletskin. Outro membro da equipe, o produtor Semyon Vavilov, foi identificado como suspeito.

A acusação veio duas semanas depois de o Ministério do Interior de Ussuriysk, região do extremo leste russo, anunciar que iniciou um processo criminal devido a alegações de que o ponto de ônibus foi danificado.

Kletskin disse que a justificativa do caso é "completamente ridícula" e que os atores de um grupo de satiristas conhecido como "Barakuda" usaram bombinhas compradas legalmente, e não explosivos, e que um inspetor do governo local certificou que não houve danos.

Em um comunicado publicado no Instagram, o grupo disse que um mês e meio havia se passado desde a filmagem quando o "batalhão de choque invadiu, pressionou nossos rostos no chão e confiscou todo o equipamento".

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos