Homem que tentou puxar bandeira do caixão da rainha 'queria ver se ela estava morta'

Homem que tentou puxar bandeira do caixão de Elizabeth II 'não acreditava que ela estivesse morta' credit:Bang Showbiz
Homem que tentou puxar bandeira do caixão de Elizabeth II 'não acreditava que ela estivesse morta' credit:Bang Showbiz

O homem que tentou puxar a bandeira do caixão da rainha Elizabeth "não acreditava que ela estivesse morta".

Muhammad Khan foi preso depois de tentar retirar o Estandarte Real do caixão da monarca, no Westminster Hall, e foi acusado de duas violações da Lei de Ordem Pública no Tribunal de Magistrados de Westminster, em Londres, na terça-feira (20).

O promotor Luke Staton explicou o ocorrido: "O réu chegou ao Westminster Hall. Ele foi então visto por policiais presentes, tentando se aproximar do caixão. Ele saiu do tapete e agarrou a bandeira do Estandarte Real, que cobria o caixão, com as duas mãos".

O tribunal foi informado de que Khan especulava que a rainha - que faleceu no dia 8 de setembro, aos 96 anos - não estava realmente morta. Khan, portanto, aproximou-se do caixão para "verificar com seus próprios olhos".

"Ele tinha dito, antes do funeral de Estado, que planejava ir ao velório”, contou a promotoria no tribunal. “Ele pretendia escrever para a família real e, se eles não respondessem, planejava ir ao Castelo de Windsor, Palácio de Buckingham e Balmoral para tentar falar com a rainha", explicou.

Khan, 28, - que conquistou o direito de ser liberado sob pagamento de fiança - só falou no tribunal para confirmar seu nome. Sua próxima visita ao tribunal foi marcada para o dia 18 de outubro.

Entretanto, o homem foi considerado "incapaz" de responder pelos delitos, pois uma perícia médica concluiu que ele sofre de delírios.

"Ele ainda está delirando e acha que a rainha não está morta, acha que o rei Charles tem algo a ver com isso. Ele ainda pode ir ao Castelo de Windsor para prestar suas homenagens, mas também porque ele ainda acredita que ela está viva", disse o juiz Michael Snow.