Morte no Carrefour: Governador do RS promete investigação rigorosa e se diz indignado

·2 minuto de leitura
Homem é espancado até a morte em Carrefour de Porto Alegre - Foto: Reprodução
Homem é espancado até a morte em Carrefour de Porto Alegre - Foto: Reprodução

Eduardo Leite (PSDB), governador do Rio Grande do Sul, prometeu uma “investigação rigorosa” da morte de João Alberto Silveira, homem espancado até a morte em uma unidade do Carrefour na zona norte de Porto Alegre. Imagens do caso viralizam desde as últimas horas desta quinta-feira (19) e o caso ganhou repercussão nacional.

"Todas as circunstâncias em que este crime ocorreu estão sendo apuradas, e os envolvidos foram detidos. Aos familiares e amigos da vítima, o João Freitas, toda nossa solidariedade e a certeza de que a investigação será rigorosa para que haja consequência deste ato lamentável", escreveu o governador do Estado em uma rede social.

Leia também

Leite prometeu que haverá uma equipe técnica especializada em crimes de cunho racial que acompanhará o caso de perto. Segundo ele, as imagens provam de forma inconteste de que houve excesso.

O vice-governador do Rio Grande do Sul e secretário estadual da Segurança Pública, Ranolfo Vieira Júnior (PTB), descreveu como "horripilantes" as imagens do crime.

"Vamos apurar esse fato a sua exaustão, não podemos admitir ações dessa natureza. As imagens são horripilantes, a Segurança Pública de nosso estado fará tudo para o seu total esclarecimento", escreveu ele em uma rede social.

O segurança e o PM temporário foram presos, suspeitos de homicídio doloso e podem responder por homicídio triplamente qualificado. A polícia aguarda o laudo pericial e mais imagens de câmera para esclarecer o caso. A investigação segue com a 2ª DHPP (Delegacia de Homicídios e Proteção à Pessoa).

O crime brutal gerou muita repercussão nas redes sociais. Internautas relembraram passado de polêmicas e pediram punição ao grupo. Em nota, o Carrefour informou que lamenta profundamente o caso e que já foi iniciada uma rigorosa apuração interna sobre o caso. A rede alega ter tomado providências para que os responsáveis sejam punidos legalmente.

Imagens do crime circulam nas redes sociais, veja a seguir (as imagens possuem conteúdo que pode ser perturbador para algumas pessoas):