Hollywood é um negócio familiar, diz Tom Hanks sobre nepotismo no cinema

Cast member Tom Hanks attends a promotional photo call for the film 'A Man Called Otto' in London, Britain December 16, 2022. REUTERS/Toby Melville
Cast member Tom Hanks attends a promotional photo call for the film 'A Man Called Otto' in London, Britain December 16, 2022. REUTERS/Toby Melville

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - A revista americana Vulture publicou um artigo questionando a existência dos "nepo babies", os bebês de nepotismo de Hollywood —jovens que têm ascensão meteórica na indústria do cinema por ligações familiares. Desde então, personalidades como Kate Hudson e Lilly Allen se manifestaram sobre o tema, que inundou as redes sociais de críticas.

Agora, o ator Tom Hanks, que foi protagonista dos filmes "Forrest Gump", de 1994, e "Náufrago", de 2000, veio à público numa entrevista à Reuters, justificar a existência dos 'nepo babies'.

"Olha, este é um negócio de família, isto é o que temos feito desde sempre, é onde os nossos filhos cresceram", disse ele. "Se fôssemos uma empresa de suprimentos de encanamento ou se administrássemos a floricultura da rua, toda a família estaria gastando tempo em algum momento, mesmo que fosse apenas um estoque no final do ano."

A fala de Hanks logo desencadeou uma série de protestos de pessoas anônimas nas redes. Entre os casos mais famosos desse tipo de nepotismo, está a atriz e cantora Miley Cyrus, que não só é filha do cantor folk Billy Ray Cyrus, com quem dividiu a tela no sitcom infantojuvenil "Hannah Montana", como é afilhada de Dolly Parton, um dos maiores nomes da música country americana.

Parecido aconteceu com George Clooney, que não só recebeu um empurrão do pai, o apresentador Nick Clooney, como contou com conexões da tia, a cantora Rosemary Clooney, uma das principais apoiadoras da carreira do sobrinho como ator e como diretor.