Historiadores debatem diferentes projetos de independência

BELO HORIZONTE, MG (FOLHAPRESS) - O Centro de Pesquisa e Formação do Sesc São Paulo promove o seminário Diversos 22: a Outra Independência nesta semana, de 27 (quarta) a 29 (sexta).

O evento reunirá pesquisadores e artistas para refletir sobre os projetos de independência que estavam em voga no século 19, indo além do protagonismo de dom Pedro 1º. O objetivo é abordar a movimentação política que, em diversas partes do território, imaginou e lutou por outros projetos de Brasil.

Participam historiadores como Isabel Lustosa, João José Reis, Lilia Schwarcz, Lúcia Maria Bastos Pereira das Neves e Ynaê Lopes dos Santos, além de nomes como Cidinha da Silva, Daniel Munduruku e Sérgio Abranches.

A programação terá, sempre ao final das mesas, intervenções musicais e poéticas, com a cantora Zélia Duncan, o rapper RAPadura Xique-Chico e o grupo Slam das Minas São Paulo.

"Vamos lembrar o brasileiro que nós somos e o brasileiro que podíamos ser", diz a historiadora Heloísa Starling, que organizou o seminário em parceria com a equipe do Sesc. "Se olhamos para o passado e encontramos essas possibilidades, isso nos fornece conteúdos para que a gente possa pensar sobre o brasileiro que queremos ser hoje."

A programação destaca tanto as ideias que inspiraram o campo político no período, em circulação nos jornais e panfletos revolucionários, quanto os movimentos que, principalmente no nordeste do território, proclamaram diferentes formas de governo em contraposição ao projeto imperial.

À luz das discussões de raça e gênero contemporâneas, o seminário também rememora a participação de mulheres, negros e indígenas em episódios marcantes --muito deles acabaram se tornado invisíveis ao longo do tempo.

A imperatriz Leopoldina, a baiana Maria Felipa de Oliveira e a pernambucana Bárbara de Alencar estão entre os nomes lembrados.

A roteirista Antonia Pellegrino, ativista pela igualdade de gênero na política, vai falar sobre Bárbara de Alencar, primeira presa política do Brasil e figura de destaque na Revolução Pernambucana e na Confederação do Equador no Ceará.

"Ao mergulhar na história da Bárbara, eu me dei conta de que ela não só foi a primeira mulher a estar na cena pública [pela luta da independência], como, ao estar nesse lugar, ela foi presa, exposta, humilhada e difamada", conta Pellegrino. "Nesse sentido, a história dela se encaixa na leitura teórica da violência política de gênero."

Na parte artística, um dos destaques será a intervenção promovida pelo Slam das Minas São Paulo, batalha de poesia que encerra a programação.

Segundo Pam Araujo, que compõe o grupo, a proposta é realizar uma apresentação lítero-teatral que costura os manifestos de alguns folhetos revolucionários do século 19 com as poesias do próprio grupo.

"Na época, as pessoas utilizavam esses folhetos para levar seus pensamentos adiante. Hoje, a gente utiliza a nossa literatura periférica, marginal, independente e com recorte de gênero para falar do que é importante sobre o nosso lugar no mundo, a nossa resistência", ela reflete. "200 anos depois, nós ainda estamos buscando a nossa independência."

O evento "A Outra Independência" é parte do programa Diversos 22, em que o Sesc propõe discutir as duas efemérides que marcam o ano, o bicentenário da Independência e os 100 anos da Semana de Arte Moderna.

"Esse seminário nos traz oportunidades presentes nas referências de diversos pesquisadores e artistas, em colaboração ampla para as discussões sobre os processos que constituíram a Independência", afirma Danilo Santos de Miranda, diretor do Sesc São Paulo.

O evento é gratuito, com inscrições prévias pelo site do Centro de Pesquisa e Formação. Veja abaixo a programação.

PROGRAMAÇÃO

27/7 (QUARTA-FEIRA)​

14h Abertura

14h30 Mesa 1. As ideias em movimento: o debate público na Independência

- "A Guerra nas Ruas: Os Papelinhos na Época da Independência do Brasil (1821-1824)", com Lúcia Maria Bastos Pereira das Neves (Uerj);

- "Matrizes dos Impasses Políticos no Espectro da Independência: Os Acervos das Livrarias Ilustradas dos Letrados Luso-Americanos", com Gustavo Henrique Tuna (USP);

- "Revérbero, Espelho, Malagueta e Correio: Os Jornais da Independência", com Isabel Lustosa (Centro de Humanidades da Nova de Lisboa).

17h Mesa 2. Independência e morte: as guerras de Independência e a Revolução de 1817

- "As Guerras de Independência: Política e Guerra na Emancipação do Brasil (1821-1823)", com Helio Franchini Neto (Ministério das Relações Exteriores);

- "Tempos de Desassossego: Pernambuco e a Revolução de 1817", com George Félix Cabral de Souza (UFPE).

18h30 Intervenção. "Se panfleto fosse Rap", com Rapper RAPadura

28/7 (QUINTA-FEIRA)​

14h Mesa 3. Arqueologia de uma esperança: ativismo popular e utopia

- "O ‘Partido negro’ na Independência da Bahia", com João José Reis (UFBA);

- "Ativismo Popular e Independência: O Caso do Recife (1817-1824)", com Marcus Carvalho (UFPE);

- "A Cidade do Paraíso Terrestre: os Rebeldes do Rodeador (1817-1820)", com Danilo Marques (Projeto República - UFMG).

16h30 Mesa 4. O protagonismo feminino na Independência do Brasil

- "Bárbara de Alencar e as Raízes Brasileiras da Violência Política de Gênero", com Antônia Pellegrino (podcast "Mulheres na Independência");

- "A Coroa que lhe Cabe: Leopoldina e a Aventura de Fazer um Brasil", com Virgínia Siqueira Starling (livro "Independência do Brasil - as Mulheres que Estavam Lá");

- "Maria Felipa de Oliveira, a Mulher que Veio do Mar", com Cidinha da Silva (livro "Um Exu em Nova York").

18h30 Intervenção. "Frei Caneca: O Auto do Frade", com Zélia Duncan

29/7 (SEXTA-FEIRA)

14h Mesa 5. Imaginando a Independência do Brasil: possibilidades de leitura e formas de apropriação autoritária

- "A Independência que se Conta", com Wander Melo Miranda (UFMG);

- "Decantando a Independência: Canção Popular e História do Brasil", com Bruno Viveiros (Projeto República - UFMG);

- "O Sequestro da Independência: a Construção Visual do 7 de Setembro", com Lilia Schwarcz (USP).

16h30 Mesa 6. Viagem ao país do presente

- "O Caminho Tortuoso da Democracia" (título provisório), com Sérgio Abranches (colunista da CBN);

- "A Nação Embranquecida e seu Passado Escravista. Outras Leituras do Brasil", com Ynaê Lopes dos Santos (UFF);

- "Independência OU/E Liberdade Para os Povos Indígenas", com Daniel Munduruku ("Meu Vô Apolinário: um Mergulho no Rio da (Minha) Memória").

18h30 Intervenção. "A Outra Independência", apresentação poética do Slam das Minas SP

O Centro de Pesquisa e Formação recomenda o uso de máscara cobrindo nariz e boca durante as mesas.​

*

DIVERSOS 22: "A OUTRA INDEPENDÊNCIA"

Quando: 27 a 29/7 (quarta a sexta-feira), das 14h às 19h30

Onde: Centro de Pesquisa e Formação do Sesc SP (Rua Dr. Plínio Barreto 285 - 4º andar, Bela Vista, no prédio do FecomercioSP)

Preço: Gratuito

Link: https://centrodepesquisaeformacao.sescsp.org.br/atividade/diversos-22-a-outra-independencia

Inscrições: Até o dia 27/7, enquanto houver vagas

Prevenção: O Centro de Pesquisa e Formação recomenda o uso de máscara cobrindo nariz e boca durante as mesas​

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos