Jair Bolsonaro: saiba mais sobre a hérnia que o presidente vai operar

Presidente Jair Bolsonaro, que vai passar pela quarta cirurgia (AP Foto/Eraldo Peres)

Jair Bolsonaro será submetido a mais uma cirurgia, marcada para o dia 8 de setembro. A informação foi confirmada pelo Palácio do Planalto no último domingo (1º), horas depois dele ter realizado uma série de exames no Hospital Albert Einstein, em São Paulo.

Já conhece o Instagram do Yahoo Vida e Estilo? Siga a gente!

A nota divulgada nas redes sociais do presidente, assinada pelo médico da Presidência da República, Dr. Ricardo Peixoto Camarinha, diz que a cirurgia é necessária para corrigir uma "hérnia incisional, que surgiu em decorrência das intervenções cirúrgicas previamente realizadas" na região do abdômen, consequência da facada ele levou ano passado, em Juiz de Fora (MG). Esta será a quarta cirurgia do presidente em consequência do ocorrido.

Leia também

Mas que hérnia é essa e por que tem que operar?

O que é hérnia?

Hérnia é o escape parcial ou total de um ou mais órgãos por um orifício, que se abriu por má formação, ruptura ou enfraquecimento nas camadas de tecido protetoras dos órgãos internos. A hérnia pode surgir em diferentes locais do corpo, aparecendo com maior frequência na região abdominal – há também hérnia de disco (coluna) e hérnia cerebral.

O problema não afeta somente o presidente. Estimativas do Ministério da Saúde indicam que entre 3% e 8% dos brasileiros apresentam algum tipo de hérnia na região do abdômen - local que abrange a maioria dos órgãos internos do corpo.

Falha na cicatrização

O cirurgião do aparelho digestivo Rodrigo Barbosa, dos hospitais 9 de julho e Sírio Libanês, explicou à reportagem do Yahoo como costuma ser o procedimento em hérnia incisional: “Nesse tipo de cirurgia, corrigimos a hérnia que fica no abdômen após alguma falha. E, para evitar que essas imperfeições voltem e surja uma nova hérnia, utilizamos telas para reforçar as paredes do abdômen”.

Bolsonaro terá que evitar atividade como subir escadas e dirigir

Segundo Rodrigo Barbosa, o presidente terá que ter alguns cuidados especiais para se recuperar plenamente dessa cirurgia, mesmo que sendo utilizado tela para que a hérnia não volte. “Dentre esses cuidados vale salientar o repouso de esforços mínimos por sete, 14 dias, o que inclui atividades básicas como não abaixar para amarrar o cadarço, subir escadas lentamente ou dirigir”, explica Barbosa.

Inchaço e dores

Não existe uma causa evidente para o surgimento de uma hérnia. Algumas são resultado de levantar muito peso ou de grande esforço, podem ser congênitas ou até como consequência de diversas cirurgias abdominais que deixam a região mais suscetível, como ocorreu com o presidente.

Nem sempre as hérnias dão sinais, principalmente quando são pequenas. Mas quando começam a escapar pelos orifícios, podem ser reconhecidas com inchaço na região ou causam muitas dores. As dores das hérnias abdominais costumam ser piores durante esforços físicos, como levantar objetos pesados ou ficar muito tempo em pé, ou quando a parede do abdômen é contraída rapidamente durante o esforço para evacuar ou tossir.

Tratamentos

Na maioria dos casos, as hérnias abdominais são diagnosticadas pelo médico gastroenterologista em avaliações clínicas, olhando e tocando a região, mas às vezes pode ser necessário exames de imagens, como ultrassom. O tratamento-padrão é cirúrgico e quanto mais cedo for realizado, melhor. As cirurgias de hérnia podem ser abertas ou por laparoscopia, considerada menos invasiva. O pós-operatório de hérnia costuma ser rápido, mas deve seguir algumas orientações médicas, como não fazer esforço físico por dez dias.

Conheça os tipos de hérnia

Hérnia inguinal:

Ocorre na virilha (na junção da coxa e a parte inferior do abdômen) e é a mais comum entre as hérnias abdominais. Ela corresponde a 80% dos registros da doença, sendo os homens os mais afetados. Em alguns homens, ela pode ser expandida para os testículos, desenvolvendo a hérnia inguinoescrotal.

Hérnia epigástrica:

Ocorre na linha média do abdômen, acima do umbigo.

Hérnia umbilical (ou paraumbilical):

Ocorre na região da cicatriz umbilical, principalmente em bebês.

Hérnia de hiato:

Também chamada de hérnia de hiato esofágico, ocorre quando parte do estômago invade a cavidade torácica por meio de uma abertura onde o esôfago liga-se ao estômago.

Hérnia incisional:

Está relacionada às incisões cirúrgicas na região. Por isso, geralmente, afeta as pessoas mais velhas que tendem a ter passado por mais cirurgias que os jovens.

Hérnia diafragmática:

É um problema congênito no qual uma abertura está presente no diafragma desde o nascimento do bebê. Essa abertura anormal permite que alguns dos órgãos normalmente encontrados no abdome se movam dentro da cavidade torácica, como baço, estômago, parte do intestino, entre outros órgãos.