Harvey Weinstein recebe 11 novas acusações de assédio sexual

·2 minuto de leitura

Resumo da notícia:

  • Segundo o Los Angeles Times, as 11 acusações pelas quais Weinstein é acusado na Califórnia.

  • Se condenado por todos os crimes, o produtor, que já está atrás das grades, poderá receber pena de até 140 anos de prisão,

  • O advogado do ex-produtor afirmou que ele está doente e não pode viajar.

O ex-produtor de cinema Harvey Weinstein recebeu onze novas denúncias de crimes sexuais. Ele já está sub julgamento após ter sido acusado de assédio sexual e estupro por inúmeras vítimas.

Segundo o Los Angeles Times, as 11 acusações pelas quais Weinstein é acusado na Califórnia referem-se a supostos eventos ocorridos entre 2004 e 2005.

Norman Effman, advogado de Weinstein, disse que o ex-produtor não está em condições de viajar de Nova York, onde cumpre pena pelas outras acusações, até a Califórnia. De acordo com ele, Weinstein está com a saúde delicada.

Leia também:

O tribunal decidiu adiar a decisão sobre a transferência do ex-produtor até 30 de abril e deu à defesa o prazo de uma semana para apresentar argumentos contra o processo.

Uma fonte disse ao LA Times que a lista de crimes corresponde às denúncias que o Ministério Público de Los Angeles já divulgou no semestre passado, e que foram investigadas.

Baixe o app do Yahoo Mail em menos de 1 min e receba todos os seus emails em 1 só lugar

Siga o Yahoo Vida e Estilo no Google News

"Weinstein enfrenta um total de quatro acusações por estupro e quatro por cópula oral forçada, duas por agressão sexual com restrição e uma por penetração sexual por meio do uso de força em relação a cinco vítimas de crimes que vão de 2004 a 2013", resumiu o Ministério Público da Califórnia em comunicado divulgado pelo LA Times.

Se condenado por todos os crimes, o produtor, que já está atrás das grades, poderá receber pena de até 140 anos de prisão, que se somariam aos 23 que o juiz nova-iorquino já julgou por estupro e agressão sexual.

No total, mais de 80 mulheres acusaram o ex-produtor de crimes sexuais e má conduta. O processo para mover Weinstein para a Califórnia começou no ano passado, mas teve que ser interrompido pela pandemia do coronavírus.