Harvey Weinstein não deporá em julgamento de estupro em Nova York, diz defesa

Por Brendan Pierson
.

Por Brendan Pierson

NOVA YORK (Reuters) - O ex-produtor de cinema Harvey Weinstein não deporá em sua própria defesa no julgamento de estupro no qual é réu, disseram seus advogados nesta terça-feira ao darem o caso por encerrado.

Longe da presença do júri, um deles disse ao juiz James Burke que Weinstein não falará no julgamento iniciado em Nova York no dia 6 de janeiro, que é um marco do movimento #MeToo.

"Está correto", confirmou Weinstein ao ser indagado pelo juiz.

A defesa encerrou o caso pouco depois desta conversa, preparando o cenário para as argumentações finais na quinta-feira.

Mais cedo nesta terça-feira, um ex-agente da acusadora Jessica Mann disse ao depor que Mann não mostrava sinais de perturbação na manhã em que disse ter sido agredida sexualmente por Weinstein.

Com 67 anos, Weinstein se declarou inocente do estupro de Mann, uma ex-aspirante a atriz, e da agressão sexual da ex-assistente de produção Mimi Haleyi.

Mann acusou Weinstein de estuprá-la em um hotel de Manhattan em uma manhã de março de 2013. Ela já havia deposto e dito que o estupro ocorreu no decurso de um relacionamento "extremamente degradante" com Weinstein que durou anos.