'Mesma turma que não quer voltar vai para bar e balada', diz Mourão sobre estudantes contrários ao retorno das aulas

·1 minuto de leitura
Foto: Andressa Anholete/Getty Images
Foto: Andressa Anholete/Getty Images

Hamilton Mourão (PTRB), vice-presidente da República, alimentou a polêmica do retorno das aulas presenciais nesta quinta-feira (03). Mesmo com a alta das mortes e dos casos de Covid-19 no país, Jair Bolsonaro (sem partido) defendeu a volta “em todos os níveis”.

Mourão disse ver uma dose de hipocrisia por parte de muitos que são contrários ao retorno presencial.

"Acho que há uma certa hipocrisia nisso aí. A mesma turma que não quer voltar vai para a balada, vai para bar... Então, vamos ser coerentes nas coisas. Se não pode, não pode para tudo", afirmou o vice-presidente.

Leia também

A fala de Mourão vem um dia depois do MEC (Ministério da Educação) determinar uma portaria que determina o retorno às aulas presenciais em universidades federais a partir de 4 de janeiro de 2021. A medida ressalta, no entanto, que estados ou cidades podem suspender as atividades presenciais.

Desde março, quando a pandemia do novo coronavírus começou, as aulas presenciais do ensino básico ao superior foram suspensas, sendo substituídas pela modalidade virtual.

Reitores de todo o país criticaram o MEC por tomar a decisão sem consultar a comunidade universitária. A repercussão negativa se justifica pelo momento delicado que o país vive em relação ao vírus. Nesta quarta-feira (02), 669 pessoas morreram por Covid-19 no Brasil.

O MEC determinou que, para retomar as atividades presenciais, as faculdades deverão adotar um "protocolo de biossegurança", definido na portaria MEC nº 572, de 1º de julho de 2020, contra a propagação do coronavírus.