Hackers russos atacam leilão de Banksy em benefício da Ucrânia

Um leilão de obras de Banksy para arrecadar fundos para ajudar as vítimas da invasão russa da Ucrânia foi atacado por hackers da Rússia, disseram os organizadores do evento nesta terça-feira (10).

Anunciado pela Legacy of War Foundation, o leilão oferece 50 exemplares de uma serigrafia do artista britânico, avaliados em 5.000 libras esterlinas cada (cerca de 5.550 euros ou 6.100 dólares).

Na obra, um rato branco rasga com suas patas um papelão onde se lê "Frágil", em inglês.

Nenhum comprador poderá adquirir mais de um exemplar, numerado e com certificado de autenticidade.

"Foram recebidas mais de um milhão de inscrições" para participar do leilão, mas o portal teve que enfrentar "3.500 ataques de IP (endereços dos dispositivos na internet) russos", afirmou a associação, acrescentando que comunicará "rapidamente" quem foram os compradores selecionados.

"Fiz 50 serigrafias e todos os lucros irão para nossos amigos na Ucrânia", indicou Banksy, o prestigiado artista de rua cuja verdadeira identidade é desconhecida, no Instagram.

Os recursos arrecadados devem ser usados para comprar ambulâncias, geradores de eletricidade, sistemas de aquecimento e lâmpadas movidas a energia solar para aliviar os apagões causados pelos bombardeios russos no auge do inverno, e para ajudar mulheres e membros da comunidade LGBTQ na Ucrânia.

Em meados de novembro, Banksy postou em sua conta no Instagram fotos de uma obra pintada em um prédio bombardeado em Borodianka, subúrbio de Kiev que se tornou símbolo das atrocidades russas, uma forma de confirmar que ele era o autor.

Vários trabalhos feitos com estênceis, no estilo de Banksy, apareceram em Kiev e arredores no início daquele mês.

Em dezembro, a polícia ucraniana frustrou uma tentativa de roubo de uma obra atribuída ao famoso artista em um muro nos arredores de Kiev.

spe/gmo/js/mb/ic/mvv