Hackers atacam site da Biblioteca Nacional na mais recente invasão ao governo

·1 minuto de leitura

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - O site da Biblioteca Nacional, órgão ligado à Secretaria de Cultura do governo federal, foi alvo de um ataque de hackers no último domingo. Desde então, a plataforma, que congrega registros históricos de livros, revistas e documentos do país e é importante fonte de consulta para pesquisadores, está fora do ar. A instituição afirma, por nota, que "muito poucos documentos foram atingidos" pelo ataque e "é provável que tudo seja recuperado". Ainda não há previsão de retorno do site. Como medida de prevenção contra novas invasões, foram desligados todos os servidores, o que tem impedido o acesso ao acervo desde domingo. O site tentou voltar ao ar na terça-feira de manhã e acabou sendo invadido mais uma vez. A suspensão dos servidores permite aos técnicos contratados pela Biblioteca Nacional, além escanear os acervos para avaliar os danos, reforçar sua segurança e implantar novas proteções. "O estrago é mínimo", diz a nota, e se os esforços derem certo "poderá até ser zero". O ciberataque, do tipo ransomware -palavra que deriva do inglês para "resgate"-, é do mesmo estilo daquele que atingiu, por exemplo, o Superior Tribunal de Justiça em novembro. O objetivo costuma ser embaralhar dados do sistema corporativo de uma organização e manter a chave criptográfica na mão dos criminosos, numa espécie de sequestro virtual de informações. A Biblioteca Nacional afirma ter notificado o Gabinete de Segurança Institucional da Presidência da República para investigar a invasão. "As demais medidas também estão sendo tomadas e estudadas, como abertura de boletim de ocorrência e medidas judiciais", completa o comunicado.