Hábitos saudáveis na meia-idade podem adicionar uma década ‘livre de doenças’ à sua vida

Uma dieta saudável pode acrescentar mais “anos sem doenças” à sua vida. [Foto: Getty]

Adotar hábitos saudáveis na meia-idade pode lhe dar uma década “livre de doenças” a mais de vida, de acordo com uma nova pesquisa.

Já conhece o Instagram do Yahoo Vida e Estilo? Siga a gente!

Cientistas de Harvard monitoraram um total de mais de 111.500 pessoas, durante 20 anos. Eles descobriram que mulheres que não fumavam, mantinham um peso saudável e praticavam exercícios regularmente aos 50 anos tinham 10 “anos livres de doenças” a mais do que aquelas que negligenciavam o seu bem-estar.

Leia também

Entre os homens, o cuidado com a saúde na meia-idade reduziu os índices de câncer, doenças cardíacas e diabetes por 7,6 anos “adicionais”.

“Políticas públicas voltadas para melhorar a alimentação e o ambiente físico, tornando-os mais propícios para a adoção de uma dieta e um estilo de vida saudáveis, juntamente com políticas e regulamentações relevantes, são fundamentais para aumentar a expectativa de vida, especialmente a expectativa de vida livre das principais doenças crônicas,” escreveram os cientistas no BMJ.

Um exemplo desse tipo de política seria banir o cigarro de locais públicos, acrescentaram os pesquisadores.

Programas de vacinação, avanços médicos e um declínio no número de fumantes, levaram a uma expectativa de vida de 79,6 anos para os homens e 83,2 anos para as mulheres na Inglaterra em 2018, de acordo com o The King’s Fund.

Nos Estados Unidos, a expectativa de vida foi de 78,5 em 2017, de acordo com o The World Bank.

Um aspecto negativo de viver mais é a possibilidade de ter que conviver com deficiências e doenças que surgem com a idade.

O hábito de fumar, o sedentarismo, o consumo excessivo de álcool, a obesidade e uma dieta pouco saudável podem estar por trás de 60% das mortes prematuras, segundo os cientistas de Harvard.

Os maus hábitos também podem cortar entre 7 e 17 anos da vida de uma pessoa, segundo eles.

Apesar disso, pouco se sabia sobre quais fatores do estilo de vida afetavam o número de anos “livre de doenças” de uma pessoa.

Para saber mais, a equipe analisou os mais de 73 mil participantes do Nurses’ Health Study, juntamente com os mais de 38 mil envolvidos no Health Professionals Follow-Up Study.

Os participantes não tinham casos de câncer, doenças cardíacas e diabetes no começo da análise.

Aqueles que nunca fumavam, mantinham um peso saudável, praticavam exercícios pelo menos meia hora por dia, bebiam com moderação e mantinham uma dieta saudável receberam a “pontuação de estilo de vida” máxima de 5.

Os resultados mostram que as mulheres com uma pontuação de 4 ou 5 vivem, em média, 10,6 anos “livres de doenças” extras, em comparação com as que tiveram uma pontuação de 0. Os homens participantes do estudo ganharam 7,6 anos.

Este tipo de diferença entre homens e mulheres já havia sido observado em outras análises, mas não se sabe ao certo por que isso acontece.

Os homens que fumavam 15 ou mais cigarros por dia e os homens e mulheres obesos tiveram os piores resultados.

Os cientistas destacam que confiaram nos relatos dos participantes a respeito dos seus hábitos.

Eles também apontam que a maioria dos envolvidos eram brancos, e que os resultados podem não ser aplicáveis a outras etnias.

Ainda assim, os pesquisadores ressaltam que este foi um estudo de larga escala com um longo período de monitoramento.

Alexandra Thompson