Guilherme de Pádua: Famosos comentam morte e ligam ator a Bolsonaro

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - Após a morte de Guilherme de Pádua, assassino de Daniella Perez em 1992, famosos usaram as redes sociais para celebrar, comentar e associar o ator ao presidente, Jair Bolsonaro (PL).

"Morreu o assassino Guilherme de Pádua, menos um voto para Bolsonaro", escreveu o radialista Guga Noblat. Alexandre Frota disse que não comemoraria a morte do "assassino bolsonarista", pois queria que ele vivesse 100 anos de sofrimento.

O autor de novelas Aguinaldo Silva postou que Pádua tinha uma dívida impagável com a sociedade. "Sua morte súbita, diante do mal irreparável que ele causou, só me permite um comentário: já foi tarde".

Felipe Neto lembrou a coincidência da data da morte com a reprise de "Explode Coração". "Desculpa, mas o Guilherme de Pádua morrer de infarto exatamente no dia de estreia da novela de Glória Perez, é a prova de que o Universo tem que ter algo a mais".

Anteriormente, à Folha de S.Paulo, o ex-marido de Daniella Perez, o ator Raul Gazolla, disse que não sentia nenhum tipo de dor em afirmar que ele "já foi tarde". "Agora tem que acertar as contas com o invertido, o capiroto, o coisa ruim", comentou.

Pádua está sendo velado na Igreja Batista da Lagoinha, em Belo Horizonte (MG), na manhã desta segunda-feira (7). Foi no local que ele virou pastor.

Segundo a Igreja, a cerimônia, aberta ao público, deverá acontecer até por volta de 13h e, depois, ele será sepultado no cemitério Parque da Colina na parte da tarde.