Guerra e Cidália são vítimas de ataque terrorista em 100º episódio de "Travessia"

Guerra e Cidália são vítimas de ataque terrorista em 100º episódio de
Guerra e Cidália são vítimas de ataque terrorista em 100º episódio de "Travessia" (Foto: Globo/Ellen Soares)

O centésimo episódio de "Travessia" promete ser explosivo... literalmente. Para adicionar mais um atrativo para a novela, a autora Glória Perez planejou um mistério para os próximos capítulos do folhetim e colocará as vidas de Guerra (Humberto Martins) e Cidália (Cássia Kis) em risco.

Na sequência, prevista para ir ao ar no próximo dia 2 de fevereiro, os personagens estarão em um carro, sem ter a menor ideia de que uma bomba-relógio foi implantada no veículo. Em certo momento, o artefato irá explodir, arremessando o carro e seus ocupantes pelos ares.

Ambos serão internados no hospital entre a vida e a morte. Após muita luta, eles acabarão sobrevivendo e passarão a acompanhar as investigações da delegada Helô (Giovanna Antonelli), que chegará à conclusão de que o caso não foi um acidente.

Como Guerra terá se envolvido em uma briga com Moretti (Rodrigo Lombardi) pouco tempo antes do acidente, as suspeitas logo recaírão sobre o inimigo do empresário. Até o advogado dele, Stenio (Alexandre Nero) ficará em dúvida e questionará o cliente, mas Moretti irá jurar que não é responsável pelo crime, mantendo o mistério no ar.

Ari teria colocado a bomba?

Além de Moretti, Ari (Chay Suede) também é aponto como o possível autor do crime. Ao saber que Guerra estava negociando ajudar Brisa (Lucy Alves) a ficar com a guarda do filho deles, Tonho (Vicente Alvite), o arquiteto se revoltará e plantará a bomba no carro do pai de Chiara (Jade Picon).

A intenção de Guerra com o movimento seria conseguir a ajuda de Oto (Rômulo Estrela), namorado de Brisa, para incriminar Moretti pelo hackeamento da licitação dos casarões históricos de São Luís, no Maranhão. Na audiência pela guarda de Tonho, que acontcerá no dia seguinte ao atentado, Ari ainda será beneficiado pelo juiz.