Gucci desfila em Milão com mundo da moda à espera de novo estilista

Desfile da Gucci em Milão

Por Mimosa Spencer e Elisa Anzolin

PARIS/MILAN (Reuters) - A Gucci abriu a semana de moda de Milão, nesta sexta-feira, com uma linha de roupa masculina de estilo andrógino e desleixado, apresentando sua nova coleção enquanto a indústria da moda aguarda o anúncio do novo estilista da grife pela proprietária Kering.

O grupo de luxo francês Kering está sob pressão para encontrar um substituto após a partida abrupta em novembro de Alessandro Michele, o excêntrico estilista que era o favorito de nomes como Harry Styles e Lady Gaga.

Também há cobrança pela retomada das vendas da Gucci, a maior marca da Kering, sendo responsável por dois terços dos lucros em 2021.

A questão de quem orientará a direção criativa da Gucci pairou sobre o primeiro desfile masculino da grife na capital da moda italiana em três anos, nesta sexta. Os desfiles em Milão acontecem até 17 de janeiro, atraindo um público que inclui os principais compradores varejistas, dimensionando quais estilos podem ser os futuros sucessos de venda.

Na apresentação da Gucci na passarela houve ecos dos estilos excêntricos e fluidos no gênero de Michele.

Os modelos desfilaram em uma sala escura sob a música ao vivo da banda Marc Ribot's Ceramic Dog, apresentando casacos com lapela larga e calças largas e plissadas em tons bege pálido e pastel, com novas interpretações de clássicos da casa, juntamente com lembretes do estilo de Michele, incluindo pantufas peludas.

"Um limpador de paletas das coleções que vimos nas últimas temporadas", disse Simon Longland, chefe do departamento de roupas masculinas e femininas da loja Harrods, em Londres.

Ele disse que o show proporcionou uma "nova abordagem" aos estilos da grife, com uma gama de tecidos e formas de casacos que provavelmente atrairiam os fãs de sue estilo característico, bem como novos clientes.

Calças prateadas cintilantes e botas acolchoadas acrescentaram toques de excentricidade às peças de cor neutra, que foram acolhidas por celebridades na platéia, incluindo a estrela do K-pop Kai, o jogador de futebol americano Jalen Ramsey e a banda de rock italiana Maneskin.

O UBS estimou que o resultado da Kering, que será divulgado em 15 de fevereiro, mostrará que as vendas do quarto trimestre da marca caíram cerca de 11%, provavelmente uma das quedas mais acentuadas entre as principais marcas de moda do mundo, já que as rigorosas restrições da Covid-19 pesaram sobre os negócios na China.

"Quanto maior a espera por um novo diretor criativo da Gucci, pior a perspectiva para a Kering", disse Luca Solca, analista da Bernstein, observando que "mais do mesmo" não ajudaria a etiqueta a recuperar sua relevância junto aos compradores.