Guarujá proíbe novas reservas de casas para o fim de ano, e veta guarda-sol e cadeiras nas praias

João Conrado Kneipp
·2 minuto de leitura
Guaruja - SP, Brazil - November 20, 2019: Sunbathers at Praia das Pitangueiras beach, the main tourist urban beach of the city. Buildings of Morro da Campina hill on the background.
Medidas valerão de 2 de dezembro a 4 de janeiro de 2021, segundo prefeitura. (Foto: Getty Images)

A Prefeitura do Guarujá, no litoral de São Paulo, irá proibir a utilização de guarda-sóis e de cadeiras nas praias do município. Ficam vetados também novos alugueis de casas e apartamento de veraneio para o fim de ano.

Os vetos começam a valer a partir do dia 2 de dezembro e seguirão em vigor até dia 4 de janeiro de 2021. Diferentemente do publicado anteriormente, as reservas em hoteis e pousadas seguem permitidas. A matéria foi atualizada com a informação correta às 17h da quarta-feira (2).

As ações fazem parte do plano de endurecimento das medidas de combate ao novo coronavírus, e foram anunciadas em uma reunião com o governo de São Paulo, na noite desta terça (1º), no Palácio dos Bandeirantes.

Leia também

No início desta semana, o governador João Doria (PSDB) decretou que todas as regiões do estado deverão regredir à Fase Amarela do Plano São Paulo, programa de regras para endurecimento ou flexibilização das medidas restritivas devido a Covid-19.

Na configuração do Plano São Paulo, 6 das 16 regiões do estado estavam na Fase Verde, uma das mais flexíveis com relação às medidas de restrição e fechamentos. Agora, todas elas passarão à Fase Amarela e que prevê ações mais rígidas com focos em bares, restaurantes e cinemas.

Até então, o discurso das autoridades do governo estadual era de cautela nas ações de enfrentamento, alegando a necessidade de ganhar tempo para interpretar os dados represados devido a uma pane no sistema do governo federal.

CIDADES EM ALERTA

A reunião desta terça envolve 62 municípios que estão, na avaliação do governo, em uma situação mais delicada da doença.

O secretário estadual de Saúde, Jean Gorinchteyn, explicou que foram selecionadas as cidades que apresentaram, na última semana, um aumento superior a 10% nas internações e uma taxa de ocupação dos leitos de UTI (Unidade de Terapia Intensiva) acima de 75%.

No estado, a taxa de ocupação dos leitos de UTI é de 53,1%, enquanto na Grande São Paulo esse percentual sobe para 60,1%. Nas últimas 24 horas, foram registrados 8.937 novos casos e 195 mortes em decorrência da Covid-19.