Greta Thunberg diz que 'mudanças na sociedade' são necessárias para combater ansiedade climática

Greta Thunberg credit:Bang Showbiz
Greta Thunberg credit:Bang Showbiz

Greta Thunberg diz que “ação” é necessária para combater a ansiedade da crise climática.

A ativista de 19 anos acredita que os indivíduos que se unem para fazer a diferença inspirarão "mudanças sociais".

Ao responder a perguntas de pessoas como o cantor Jaden Smith, a humanitária Malala Yousafzai e a poetisa Amanda Gorman para a série de vídeos 'Ask Me Anything', da ELLE UK, Greta aconselhou: "Encontre pessoas que pensam como você e comecem algo juntos. Para tantas pessoas se sentirem menos preocupadas com a crise climática, [elas precisam] agir. Você ainda pode se sentir angustiado, mas pelo menos não sente que é em vão. Acho que todo mundo se sente assim, pelo menos às vezes, porque as mudanças que são necessárias não são possíveis nos sistemas de hoje ... Pode parecer que não podemos fazer nada, mas não é verdade. Para criar mudanças sociais, precisamos de pessoas liderando o caminho. Se uma pessoa faz algo, [isso] pode ter um efeito de bola de neve, e pode eventualmente iniciar todo um movimento".

Greta diz que a única maneira de permanecer "esperançosa" é ver as pessoas agindo e não ignorando o inevitável.

"Esperança, para mim, não significa que eu tenha a sensação de que tudo ficará bem e que não há necessidade de se preocupar porque as coisas estão sendo cuidadas. A esperança é ir lá, fazer algo e agir. É assim que me mantenho esperançosa", disse ela.

A fundadora da Fridays For Future também acusou marcas de roupas “prejudiciais” ao meio ambiente de "greenwashing" [lavagem verde].

"A maioria das pessoas sabe que [moda barata] é muito prejudicial para o meio ambiente, mas acho que muitas pessoas parecem pensar que há muitos na indústria da moda que estão tentando se tornar melhores e mais sustentáveis, e assim por diante. Na verdade, isso muitas vezes não é o caso. Eles estão usando isso para fazer as pessoas pensarem que estão fazendo algo - eles estão usando 'greenwashing', que é um equívoco comum", disse Greta.

Ela também admitiu estar “chocada” ao ver a “desigualdade” em nações ricas como os Estados Unidos.

"Eu sempre adoro ir a lugares diferentes e [aprender] como o ativismo funciona em diferentes áreas. Mas nos EUA, o que mais me impressionou foi a desigualdade. É o país mais rico do mundo, e ainda assim havia muita desigualdade. Indo para algumas das áreas mais pobres e indo para algumas das áreas de renda mais alta, foi uma diferença muito... grande e isso realmente me chocou", contou.