Grammy Latino: Bad Bunny lidera a disputa; Anitta recebe duas indicações

O cantor de reggaeton porto-riquenho Bad Bunny lidera as indicações para a 23ª edição do Grammy Latino, concorrendo em dez categorias, incluindo duas das principais da premiação, anunciou a Academia Latina da Gravação nesta terça-feira (20).

Outro destaque do anúncio foi a indicação de Anitta na categoria "Gravação do Ano" com seu hit “Envolver”, que fez história ao liderar o ranking global do Spotify. A carioca, que se tornou uma sensação musical no cenário internacional, também disputa o prêmio de "Melhor Gravação Reggaeton".

O Brasil está representado na categoria "Melhor Artista Revelação" pela cantora Clarissa, que ganhou notoriedade na internet há pouco mais de um ano com a música "Nada contra (ciúme)".

O uruguaio Jorge Drexler, vencedor do Oscar de Melhor Canção Original em 2005 por "Al otro lado del rio", concorre a "Melhor Canção em língua portuguesa" com "Vento sardo", assinada em conjunto com a cantora Marisa Monte. A dupla divide a categoria com Marina Sena, Caetano Veloso, Criolo & Tropkillaz, Jão e Liniker.

A Academia Latina da Gravação homenageará a cantora Rita Lee durante a cerimônia com um gramofone de excelência musical. A espanhola Rosario Flores, a chilena Myriam Hernández, a mexicana Amanda Miguel e o cantor e compositor venezuelano Yordano também serão homenageados.

- "Representação diversa" -

O compositor mexicano Édgar Barrera, com nove indicações, e o músico porto-riquenho Rauw Alejandro, com oito, também são destaque na disputa pelos gramofones da premiação que celebra o melhor da música latina.

Nascido Benito Antonio Martínez Ocasio, Bad Bunny disputa o "Álbum do Ano" com o sucesso "Un Verano Sin Ti", enquanto com "Ojitos Lindos", música assinada com o grupo colombiano Bomba Estéreo", concorre à "Gravação do Ano", disputando com "Te Felicito", dueto de Rauw Alejandro e Shakira.

Consolidando a expansão do reggaeton, Alejandro também foi indicado em "Canção do Ano" com "Agua", dueto Daddy Yankee, uma das maiores figuras desse gênero que ganhou uma categoria própria pela primeira vez em 2020.

A diva pop Christina Aguilera e a espanhola Rosalía, rainha da mistura de gêneros, estão empatadas com sete indicações cada.

Com seu sucesso "Pa 'mis muchachas" cantado com Becky G, Nicki Nicole e Nathy Peluso, Aguilera concorre à "Canção do Ano", enquanto sua produção "Aguilera" entrou na disputa pelo "Álbum do Ano".

"Omgg!", celebrou no Instagram a cantora e compositora que em duas décadas de carreira colecionou uma galeria de prêmios, incluindo cinco prêmios Grammy e um Grammy Latino.

Rosalía também foi indicada nas três principais categorias. Com seu aclamado "Motomami", ela busca o Álbum do Ano, enquanto sua bachata "La Fama", junto com The Weeknd, e "Hentai" são respectivamente indicadas para "Gravação do Ano" e "Canção do Ano".

"Nosso grupo de indicados reflete a evolução da academia latina como uma instituição moderna e relevante", disse Manuel Abud, diretor executivo da Academia Latina da Gravação.

Abud ressaltou que a instituição recebeu mais de 18 mil inscrições para as 53 categorias do prêmio.

O diretor agradeceu aos membros da Academia Latina da Gravação, que, garantiu, mantém uma “representatividade diversificada”. “É uma peça fundamental para garantir um processo de votação abrangente e inclusivo”, disse.

A 23ª edição do Grammy Latino será realizada no dia 17 de novembro no Michelob Ultra Arena no Mandalay Bay Resort and Casino, em Las Vegas.

pr/gm/ap