Grécia propõe emprestar tesouros para exibir mármores do Partenon, mas ainda cobra devolução

ATENAS (Reuters) - A Grécia confirmou nesta terça-feira sua disposição de emprestar tesouros ao Museu Britânico para poder exibir temporariamente os mármores do Partenon, mas também disse que a proposta não altera sua exigência de longa data pela devolução permanente das esculturas.

No domingo, o primeiro-ministro grego, Kyriakos Mitsotakis, disse ao jornal britânico Observer que está disposto a emprestar a Londres artefatos importantes "que nunca saíram da Grécia" para poder colocar os mármores à mostra em Atenas em 2021, quando o país comemora os 200 anos de sua Guerra de Independência.

Atenas vem pedindo insistentemente a volta permanente das esculturas de 2.500 anos, que o lorde britânico Elgin retirou do templo da Acrópole durante um período em que a Grécia estava sob o jugo do Império Otomano.

O Museu Britânico, que tem a guarda dos mármores, descartou devolvê-los, dizendo que "as esculturas são parte da herança compartilhada por todos e transcendem fronteiras culturais".

"Dada a significância de 2021, proporei a Boris (Johnson): 'Como primeiro gesto, empreste-me as esculturas por um certo período de tempo e lhe enviarei artefatos muito importantes que nunca saíram da Grécia para serem exibidos no Museu Britânico'", disse Mitsotakis ao Observer, fazendo referência ao premiê britânico.

A ministra da Cultura grega, Lina Mendoni, disse à Skai TV nesta terça-feira que seu ministério encaminhará um pedido oficial ao Reino Unido quando o premiê decidir fazê-lo.

Indagada se tal pedido de empréstimo dos mármores implica que Atenas reconhece que o Reino Unido tem direito a eles, ela respondeu que o pedido do premiê foi claro e que "direitos não poderiam emergir de um roubo".

"A posição grega não mudou de maneira nenhuma, simplesmente porque não podemos aceitar o roubo", disse. "Um empréstimo, a proposta do primeiro-ministro de exibir as esculturas em Atenas, não tem relação com isso e não muda nossa exigência de longa data".

A Grécia intensificou sua campanha pela devolução dos mármores nos últimos anos, e em 2009 inaugurou um novo museu no sopé da colina da Acrópole que espera um dia abrigar as esculturas.

(Por Renee Maltezou)