Governo centraliza entrevistas sobre coronavírus para enfraquecer ministro da Saúde

Grasielle Castro

A primeira entrevista coletiva diária do Ministério da Saúde sobre a pandemia de coronavírus centralizada no Palácio do Planalto com a presença de outros ministros ficou marcada pela tentativa da Casa Civil de unificar o discurso do governo. No momento que o presidente Jair Bolsonaro diz e faz o contrário do que é proposto pelo seu governo, o chefe da Casa Civil, Braga Netto, e o ministro da Saúde, Luiz Henrique Mandetta, passaram parte do tempo minimizando as rusgas internas.

Questionado sobre a permanência de Mandettta, que tem incomodado o presidente por causa de seu protagonismo, Braga Netto negou a demissão “no momento”.  De acordo com ele, o formato da coletiva mudou porque a pandemia atinge transversalmente todo o governo. “O que queremos aqui é ampliar a informação que o cidadão estava tendo. Os planejamentos são centralizados e as ações, descentralizadas”, disse.

No entanto, como o HuffPost mostrou em meados de março, o presidente se queixava que Mandetta deveria se esforçar mais para exaltar os esforços do governo federal e não só do ministério no combate ao coronavírus. Além de ter reclamado que o ministro aparecia demais, o presidente tem atropelado suas recomendações e questionado a ciência.

Nesse cenário, coube a Mandetta enfatizar que as coletivas e o ministério seguem “técnicos” e “científicos”. “Enquanto eu estiver nominado [ministro] vou trabalhar com a ciência, técnica e planejamento”, disse. “Farei o máximo que a gente puder para preservar vidas, procurando mostrar para todos sem distinção qual a razão de termos esse posicionamento técnico, científico.”

Enquanto eu estiver nominado [ministro], vou trabalhar com a ciência, técnica e planejamento.Henrique Mandetta, ministro da Saúde

Protagonismo do ministro da Saúde, Henrique Mandetta, tem incomodado o presidente Jair Bolsonaro. 

Na tentativa de afinar o discurso com o Planalto, o ministro da Saúde disse ainda que o governo é uma “casa onde estamos estressados por conta de um enorme problema para todas as nações do...

Continue a ler no HuffPost