Governo das Filipinas mandará enfermeiros para Reino Unido e Alemanha em troca de vacinas

·2 minuto de leitura
MANILA, PHILIPPINES - FEBRUARY 15: Health workers take part in a mock COVID-19 vaccination drill at the Philippine General Hospital on February 15, 2021 in Manila, Philippines. Pressure is mounting on the Philippine government to secure COVID-19 vaccine deals after the country's coronavirus task force chief Carlito Galvez, who also handles the government's vaccine procurement, admitted the country has yet to have a firm agreement with any vaccine manufacturer. The Philippines, which so far has confirmed more than half a million cases of COVID-19, is one of the few countries left in Southeast Asia who has yet to secure vaccines for its citizens. President Rodrigo Duterte faced controversy last month after admitting that his presidential security and a number of his ministers had already received vaccines for COVID-19, which the defense minister admits was
Nas Filipinas, não há vacinas suficientes para campanha de imunização em massa; profissionais da saúde recebem as pvacinas que chegam ao país (Foto: Ezra Acayan/Getty Images)

As Filipinas vão mandar profissionais de Saúde, em especial enfermeiros, para trabalhar no Reino Unido e na Alemanha, desde que os países doem vacinas contra o coronavírus. A informação foi revelada por um oficial filipino à agência Reuters.

O país tem número altos de infecções pelo coronavíurs. A diretora da sessão de assuntos internacionais do Ministério do Trabalho, Alice Visperas, disse que o governo das Filipinas está disposto a trocar a força de trabalho por doses da vacina.

Leia também

Há leis no país que restringem a saída de trabalhadores de saúde, mas o governo flexibilizou a medida e, a cada ano, 5 mil profissionais da área podem sair das Filipinas. Enfermeiros estão entre os trabalhadores que mais deixam o país. Por ano, esses profissionais geram cerca de 30 bilhões de dólares, montante essencial para a economia filipina.

As vacinas que entrarem no país serão usadas para imunizar os profissionais que deixam as Filipinas, além de milhares de repatriados.

Juntos, Reino Unido e Alemanha já imunizaram 23 milhões de pessoas, enquanto as Filipinas ainda não começaram a campanha de imunização em massa. A previsão do país asiático é vacinar 70 milhões de pessoas. A expectativa do governo filipino é de receber as primeiras doses na próxima semana, por meio de uma doação feita pela China.

Apesar de ser comum que enfermeiros deixem o país, especialmente devido às más condições de trabalho, muitos profissionais de saúde estão insatisfeitos com a troca. À Reuters, a secretária-geral da União dos Enfermeiros Filipinos, Jocelyn Andamo, criticou a medida.

“Nós estamos incomodados com a maneira com que enfermeiros e profissionais da saúde estão sendo tratados pelo governo, como se fossem commodities ou produtor de exportação”, afirmou.