Governo comete erro no atestado de óbito da rainha Elizabeth 2ª

Britain's Queen Elizabeth II smiles as she arrives in Germany's capital Berlin, Tuesday, June 23, 2015. Queen Elizabeth II and her husband Prince Philip are on an official visit to Germany until Friday, June 26. (AP Photo/Markus Schreiber)
Rainha Elizabeth II foi a mornarca mais longeva do Reino Unido (AP Photo/Markus Schreiber)

Resumo da Notícia:

  • Rainha Elizabeth II foi a monarca mais longeva do Reino Unido

  • O governo da Escócia cometeu um erro de classificação na morte da monarca

  • Ela tinha 96 anos quando faleceu ao lado dos filhos no castelo de Balmoral

A morte da rainha Elizabeth II continua gerando comoção nos súditos e polêmicas. A monarca mais longeva do Reino Unido morreu aos 96 anos no início de setembro e seu velório durou cerca de 10 dias. Ela foi sepultada no castelo de Windsor no dia 19 de setembro.

Dias depois do momento fúnebre, em que chegou ao seu descanso eterno, o governo da Escócia e o palácio de Buckingham divulgaram o atestado de óbito da rainha com a causa de sua morte, que era mantida em segredo desde o dia do falecimento, em 8 de setembro.

Segundo o documento oficial, a causa da morte foi “old age”, ou velhice, em tradução livre. Desde dezembro de 2021, a Organização Mundial da Saúde (OMS) não considera velhice como uma doença. A associação dos termos é considerada etarismo, que é o preconceito com pessoas mais velhas apenas por causa da idade.

“A confusão que pode causar ou a indução, mesmo sem ser este o objetivo, de profissionais em sociedades especialmente em que ainda predominam o estigma e o preconceito em relação às pessoas idosas não nos parece ser a melhor escolha”, afirmou Maria Cristina Hoffmann, representante da Coordenação de Saúde do Idoso do Ministério da Saúde à Agência Câmara, em meados de 2021.

O movimento para que o termo não fosse incluído no CID, que é a classificação internacional de doenças, partiu de sociedades cientificas de todo o mundo e organizações da sociedade civil. O receio deles é que “old age” fosse cada vez mais usado em atestados de morte e as reais causas do falecimento não fossem investigadas ou reveladas.

Com a morte da rainha Elizabeth II, às 15h10 (horário da Escócia), cerca de três horas antes do anúncio oficial, Charles, o primeiro filho dela, se tornou o rei Charles III. Ele e a princesa real Anne estavam ao lado de sua majestade em seus momentos finais.

Rainha Elizabeth II e seus sucessores no trono: Charles, William e George (Foto: Ranald Mackechnie / Buckingham Palace / AFP)
Rainha Elizabeth II e seus sucessores no trono: Charles, William e George (Foto: Ranald Mackechnie / Buckingham Palace / AFP)