Governo Bolsonaro exonera chefe da Funarte, coronel Lamartine Barbosa Holanda

·1 minuto de leitura
*ARQUIVO* BRASÍLIA, DF,  05.02.2021 - O presidente Jair Bolsonaro durante evento no Palácio do Planalto. (Foto: Pedro Ladeira/Folhapress)
*ARQUIVO* BRASÍLIA, DF, 05.02.2021 - O presidente Jair Bolsonaro durante evento no Palácio do Planalto. (Foto: Pedro Ladeira/Folhapress)

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - O presidente da Funarte, a Fundação Nacional das Artes, Lamartine Barbosa Holanda, foi exonerado do cargo nesta quarta (31), como publicado em edição extra do Diário Oficial da União. Quem assina a portaria é o secretário-executivo da Casa Civil, Sérgio José Pereira.

Coronel da reserva do Exército, Holanda havia assumido o cargo em setembro do ano passado. Ele foi o quinto presidente da Funarte no governo Bolsonaro. Seu substituto ainda não foi nomeado.

A demissão se dá em meio à uma crise do governo com os militares, a maior desde 1977.

A Funarte tem como missão promover e incentivar a produção, a prática, o desenvolvimento e a difusão das artes no país, sendo responsável pelas políticas públicas federais de estímulo à atividade artística brasileira.

Holanda tem experiência em logística, é especialista em planejamento de ação estratégica e já presidiu a Câmara de Comércio Brasil-Albânia no Rio de Janeiro. Fez curso de roteiro na Escola de Cinema de São Paulo.

Antes do coronel, a presidência do órgão foi ocupada por Luciano Querido, Dante Mantovani --duas vezes-- e Miguel Proença.