Google tem maior corte de funcionários na história da empresa; saiba quantos serão demitidos

A sexta-feira não foi das melhores para os funcionários do Google. Por meio de um email interno, a empresa anunciou que 12 mil funcionários serão demitidos em todos seus escritórios ao redor do mundo. Isso equivale a 6% da empresa -- e é a maior demissão na história da empresa.

No email, o CEO Sundar Pichai diz que o Google precisou contratar muito durante a pandemia, já que a Alphabet (conglomerado dono do Google e outras marcas) chegou a crescer 24% entre 2021 e 2022. Porém, a realidade de 2023 é outra e Pichai explicou que precisou tomar decisões difíceis. O discurso não é muito diferente do de Satya Nadella, CEO da Microsoft que recentemente também anunciou o corte de milhares de funcionários.

Sundar Pichai, CEO do Google.
Sundar Pichai, CEO do Google.

O funcionários do Google dos EUA que fazem parte do corte já foram informados; no entanto os que trabalham em outros países não foram notificados ainda, já que o RH da empresa precisa responder à legislação de cada país.

"O fato de que essas mudanças impactarão as vidas dos funcionários do Google pesa muito em mim e eu assumo a responsabilidade total das decisões que nos trouxeram até aqui", diz Pichai no comunicado -- ele também diz que a empresa terá atendimento aos funcionários na próxima segunda-feira (23) para tirar as dúvidas.

O comunicado segue com as medidas que já foram tomadas para os funcionários demitidos dos EUA, falando de temas como rescisão, férias e bônus, que serão pagos de acordo com a legislação do país.

No comunicado em...

Google tem maior corte de funcionários na história da empresa; saiba quantos serão demitidos
Leia Mais

Veja mapas do passado utilizando uma ferramenta escondida do Google Earth
Google Doodle homenageia Jerry Lawson, o pioneiro dos jogos
Vovó gamer: seis senhoras que mandam bem no videogame