Gloria Pires fez imersão na Polícia Civil e se inspirou em história real para "A Suspeita"

  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.
Neste artigo:
  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.
Gloria Pires em
Gloria Pires em "A Suspeita". Foto: Divulgação/Imagem Filmes

Resumo da notícia:

  • Gloria Pires conheceu a Polícia Civil do Rio de Janeiro de perto para "A Suspeita"

  • Em entrevista ao Yahoo, a atriz compartilhou bastidores do novo filme

  • Longa dirigido por Pedro Peregrino chega aos cinemas no dia 16 de junho

Após muita expectativa, "A Suspeita" está prestes a chegar aos cinemas brasileiros com Gloria Pires no papel de uma comissária da Polícia Civil que acaba de saber que está Alzheimer precoce. No drama policial, a protagonista Lúcia se entrega ao último caso de sua carreira antes de se aposentar devido ao diagnóstico da doença e investiga um esquema de crimes do qual vira suspeita.

Em entrevista ao Yahoo, a veterana das telas e o diretor Pedro Peregrino, que já trabalharam juntos em quatro novelas e uma série, contaram detalhes dos bastidores da produção. Para entenderem o que se passa na rotina de um agente da polícia, eles revelaram que chegaram a fazer uma imersão na Polícia Civil carioca.

A gente foi na Cidade da Polícia, na delegacia de repressão ao crime organizado e na chefia da Polícia Civil do estado do Rio de Janeiro"Pedro Peregrino, diretor

"Conversamos com diversos tipos de policiais. Desde o chefe da polícia civil até o policial que está ali na frente, trocando tiro e tal. Foi uma experiência bem interessante conhecer essa realidade”, relatou o cineasta, que ainda comentou sobre terem tido contato com uma médica neurologista para falar sobre o outro aspecto do filme.

Para Gloria, o longa-metragem tenta ser bem realista no quanto é possível reproduzir a realidade. "Houve todo um cuidado. Inclusive, essa imersão na Polícia Civil, para mim como atriz, foi muito interessante, porque eu também sou público", refletiu a atriz.

Assisto aos filmes policiais e estão muito relacionados a um tipo de imagem: muita ação, muita violência física e sempre tem uma coisa meio superpoderosa em ser policial”Gloria Pires, protagonista do filme

A atriz ainda destacou a importância de ter enxergado os policiais além do cargo que assumem profissionalmente. "Eu vi muito as pessoas comuns. Totalmente humanizadas. Sem nenhum escudo de super poder ou uma máscara de ser “a tal” ou “o tal”. Na rua, numa padaria, você não poderia identificar o que aquela pessoa fazia. Isso foi muito importante para mim”, ressaltou.

Inspiração em autora de "Vivendo no Labirinto"

Questionada sobre o que a motivou a aceitar viver a policial Lúcia, Gloria Pires apontou a atualidade da trama. "Não tinha ainda roteiro, mas é uma história tão atual e isso [ideia do projeto] foi em 2017. Hoje, parece que é mais atual ainda. É triste dizer isso, mas é bem real”, afirmou ao se referir aos casos relacionados ao crime organizado, corrupção da polícia e falta de protagonismo feminino na área.

Para entrar na personalidade da protagonista como uma portadora de Alzheimer, Gloria contou que foi apresentada por Peregrino ao livro "Vivendo no Labirinto", da autora norte-americana Diana Friel McGowin. "Acho que foi o único caso que temos notícia, de uma pessoa com Alzheimer que foi diagnosticada cedo e continuou em atividade", disse Gloria ao mencionar a obra baseada na história real da escritora como paciente.

“A forma dela [McGowin] superar a doença é usando o próprio trabalho, assim como a Lúcia”, explicou o diretor. “A gente usou uma descrição simbólica dela, muito interessante no filme, que é a simbologia do labirinto. Você está dentro do labirinto dentro da sua própria cabeça, buscando um caminho. A gente tem isso de uma forma sútil nas ambientações, nos cenários”, completou o diretor.

Gloria também ressaltou como os relatos das sensações de Diana Friel McGowin foram muito importantes para o seu processo de produção. "A gente só tem notícia dessa condição do Alzheimer vendo de fora, vendo a pessoa que passa por aquilo, mas a gente não sabe como é estar dentro. E esse livro era bem rico. Ela descreve com muitos detalhes”, concluiu.

Sobre "A Suspeita"

Além de Gloria Pires, elenco ainda conta com Charles Fricks, Gustavo Machado, Bukassa Kabengele, Daniel Bouzas, Júlia Gorman, Joelson Medeiros, Kizi Vaz, Paulo Vespúcio, Genézio de Barros e Alexandre Rosa Moreno.

Com direção de Pedro Peregrino e roteiro de Thiago Dottori, "A Suspeita" também marca a estreia de Gloria atrás das câmeras como produtora e chega aos cinemas brasileiros no próximo dia 16 de junho. Clique aqui para ler a crítica do Yahoo. E confira o trailer:

Ouça o Pod Assistir, podcast de filmes e séries do Yahoo:

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos