Após pedir demissão da Globo, Lizandra Trindade se pronuncia sobre saída da emissora

Jornalista Lizandra Trindade deixou a Globo após 19 anos (Foto: TV Globo/Imprensa Globo)
Jornalista Lizandra Trindade deixou a Globo após 19 anos (Foto: TV Globo/Imprensa Globo)

Resumo da Notícia:

  • Lizandra Trindade pediu demissão da Globo

  • Jornalista estava na emissora desde 2003

  • Ela passou por diversas áreas antes de trabalhar com o esporte

Uma das principais repórteres da Globo no Rio de Janeiro, a jornalista Lizandra Trindade pediu demissão da emissora após 19 anos. Ela atuava no "Encontro com Fátima Bernardes" e foi repórter e apresentadora substituta no SporTV nos últimos anos.

Lizandra se pronunciou sobre o assunto em um post no LinkedIn. "Eu saí da Globo. Porque eu quis. Há, sim, um quê de loucura na minha decisão. Li outro dia, aqui mesmo, no LinkedIn, numa pesquisa da Cia de Talentos, que a Globo está em terceiro lugar no ranking das empresas mais desejadas para se trabalhar. Li isso dias depois de assinar a minha demissão. E ninguém precisa me explicar o resultado da pesquisa. Estive dezenove anos lá dentro, cresci lá dentro. A Globo me formou como profissional", afirmou.

Lizandra exaltou sua passagem pelo canal. "Eu trabalhei quase duas décadas na maior empresa de comunicação do país, com os melhores recursos técnicos e os profissionais mais qualificados que o mercado poderia me oferecer. Fiz amigos para a vida toda, entrevistei gente relevante, fui a Copa e Olimpíada, apresentei jornais de rede. Tive sucesso no sonho da menina de 8 anos que queria ser jornalista quando crescesse. E tive dificuldade na hora de sair, porque essa menina segue em mim e não é acostumada a desistir", destacou.

"Acontece que, no final, a minha experiência já não era sonho. Ninguém abre mão de uma relação tão longa quando ela é mais boa que ruim. Minha história na Globo tem um saldo ultra-mega-hiper positivo. Mas os últimos anos, não. Chegar para trabalhar sem a alegria de sempre era desrespeitoso comigo", disse.

Lizandra Trindade não deu detalhes do que fará daqui para frente, mas se mostrou otimista com o que o futuro lhe reserva.

"Precisei de tempo para aceitar a ruptura, entender que renovação não é desistência. Pelo contrário: abrir mão do que não estava bom era não desistir de mim mesma. No centro da minha vida profissional havia uma empresa. Hoje, eu estou ali. Com toda a minha capacidade produtiva e um prioritário senso de autocuidado. Venci o medo. E garanto: tem coragem na fórmula da felicidade. A única pessoa no mundo corporativo que tem como prioridade fazer você feliz é você mesmo. Você está preparado para essa missão?", finalizou.