Globo diz 'não tolerar comportamentos abusivos' após caso Marcius Melhem

Lucas Pasin
·2 minuto de leitura
Marcius Melhem. Foto: reprodução/TV Globo
Marcius Melhem. Foto: reprodução/TV Globo

A Rede Globo também se manifestou nesta sexta-feira (04) após uma reportagem da revista Piauí, publicada hoje, que relatava com detalhes a denúncia de assédio contra Marcius Melhem, movida por Dani Calabresa. Procurada pelo Yahoo!, a emissora enviou uma nota ressaltando que 'não tolera comportamentos abusivos' e que não comenta questões do departamento de ‘compliance’, onde se apura denúncias.

Baixe o app do Yahoo Mail em menos de 1 min e receba todos os seus emails em 1 só lugar

Siga o Yahoo Vida e Estilo no Google News

“A Globo não comenta questões de compliance, mas reafirma que todo relato de assédio, moral ou sexual, é apurado criteriosamente assim que a empresa toma conhecimento. A Globo não tolera comportamentos abusivos em suas equipes e incentiva que qualquer abuso seja denunciado”, explica a nota enviada pela Comunicação da Globo.

Leia também

O posicionamento continua: “Neste sentido, mantém um canal aberto para denúncias de violação às regras do Código de Ética do Grupo Globo. Por esse Código, assumimos o compromisso de sigilo do processo, assim como o de investigar, não fazer comentários sobre as apurações e tomar as medidas cabíveis, que podem ir de uma advertência até o desligamento do colaborador. Mesmo nas hipóteses de desligamento, as razões de compliance não são tornadas públicas.”

A Globo ainda ressalta: “Somos muito criteriosos para que os estilos de gestão estejam adequados aos comportamentos e posturas que a Globo quer incentivar e para que as medidas adotadas estejam de acordo com o que foi apurado. Não foi diferente nesse caso. O acolhimento e a empatia com quem relata situações de violação do Código de Ética são pontos essenciais do programa de compliance da empresa. Isso não quer dizer que os processos de compliance sejam estáticos. Ao contrário. Eles evoluem constantemente para acompanhar as discussões da sociedade. As práticas e as avaliações são revistas o tempo inteiro, assim como são propostas e acolhidas sugestões de melhoria nos mecanismos de comunicação interna. A própria sociedade está se transformando e a empresa acompanha esse processo.”

De acordo com a reportagem da Piauí, publicada nesta sexta, Melhem chegou a vetar a participação de Dani Calabresa em um programa dominical e a encurralou em um bar esfregando suas partes íntimas no corpo dela.

Dani Calabresa também se pronunciou sobre o caso nas redes sociais. “Nunca procurei a imprensa. Tomei as medidas cabíveis para conseguir ajuda. Tudo é muito difícil. Dá medo, vergonha, mas temos que lutar por respeito e justiça. Não passarão. Assédio é crime!”, escreveu.