Giovanna Ewbank revela voto em Lula: "Artista tem que se posicionar"

Giovanna Ewbank no Grande Prêmio do Cinema Brasileiro 2022; durante evento, atriz declarou que votará em Lula para presidente nas próximas eleições (Foto: Marcelo Sá Barreto/AgNews)
Giovanna Ewbank no Grande Prêmio do Cinema Brasileiro 2022; durante evento, atriz declarou que votará em Lula para presidente nas próximas eleições (Foto: Marcelo Sá Barreto/AgNews)

Durante o Grande Prêmio do Cinema Brasileiro 2022, realizado na última quarta-feira (10) na Cidade das Artes Bibi Ferreira, zona oeste do Rio de Janeiro, Giovanna Ewbank escolheu um vestido vermelho para participar do evento. Segundo a atriz, a cor refletia o seu posicionamento político nas próximas eleições para presidente no Brasil.

"Artista tem que se posicionar. O Bruno [Gagliasso, marido da atriz] se posiciona faz tempo, e aqui o voto é Lula", declarou Giovanna, de acordo com o Lucas Pasin, colunista do UOL. "Há quatro anos, foi um momento que ficamos muito mal. Estamos nos unindo e se preparando para fazer a diferença e mudar. E vai mudar. Não tem mais espaço para o que está agora", acrescentou, referindo-se ao governo do atual presidente Jair Bolsonaro (PL), cuja gestão afirma desaprovar.

Não é de hoje que o posicionamento de Giovanna e do marido são públicos e, na época das eleições de 2018, resultou até em um afastamento entre Bruno e o irmão, Thiago Gagliasso, que concorrerá no pleito deste ano para deputado estadual pelo RJ, com candidatura pelo partido de Bolsonaro, do qual é fiel apoiador.

Em setembro passado, o ex-ator falou sobre o fim do relacionamento com a família do irmão e declarou nunca ter sido próximo da cunhada: "Da Giovanna não sinto falta, nunca fomos amigos. Ela sempre foi fechada, uma pessoa um pouco mais difícil. Ela é mulher do meu irmão, amanhã pode não ser mais a mulher dele, pode ser só a mãe dos filhos dele e eu respeito, mas eu sempre vou ser irmão de sangue”, afirmou ao podcast "4talk cast".

Na mesma entrevista, Thiago revelou que, apesar de estarem há mais de três anos sem se falar, ele ainda tentou uma aproximação do irmão, mas não conseguiu: "Ele deve estar puto e decepcionado comigo, deve me achar uma pessoa nojenta. Eles levam muito para o lado pessoal. Quando nasceu o filho dele eu mandei direct: (...) Nunca proibi meu filho de ter contato com Bruno, para conviver com os primos. Mas eu não acredito que ao contrário ele faria", disse.

No entanto, recentemente, após os filhos de Giovanna e Bruno serem vítimas de racismo em Portugal, Thiago deixou as desavenças de lado e prestou solidariedade à família do irmão: "Independente de qualquer coisa, faço questão de dar muita força ao meu irmão e sua família pelo episódio lamentável que sofreram", escreveu Thiago nas redes sociais.

"Pode ter certeza de que não importam as nossas divergências ideológicas. Em um momento como esse, só peço a Deus que os fortaleça. Parabenizo a Gio, que, visivelmente abalada e sem acreditar no que estava vivendo, defendeu seus filhos como uma mãe exemplar. Muita força!", acrescentou.