Gilberto Gil tem disco perdido dos anos 1980 resgatado pelo Google

Gilberto Gil toca violão e canta, em 2015, na Suíça (Foto: REUTERS/Denis Balibouse)
Gilberto Gil em apresentação da turnê "Dois amigos, um século de música", com Caetano Veloso, em 2015, na Suíça (Foto: REUTERS/Denis Balibouse)

Gilberto Gil ganhou nesta terça-feira (14) um museu virtual na plataforma Google Arts & Culture. A mostra digital, lançada no ano em que o cantor faz 80 anos e se tornou um imortal da Academia Brasileira de Letras, tem um acervo com mais de 41 mil imagens distribuídas em 140 seções, além de 900 vídeos e gravações históricas digitalizadas.

Um dos destaques é um disco nunca lançado, gravado em 1982 em Nova York e que se perdeu quando o compositor voltou ao Brasil.

O álbum foi encontrado pelos pesquisadores Chris Fuscaldo e Ricardo Schott durante o processo de pesquisa e digitalização dos materiais do artista. Todas as faixas estão disponíveis para audição, incluindo gravações inéditas como "You Need Love".

Intitulada "O Ritmo de Gil", a mostra realizada em parceria com o Instituto Gilberto Gil tem uma coleção de itens da trajetória de um dos expoentes da Tropicália, e se vale de documentos, fotos e vídeos para tratar da influência do cantor na cultura brasileira e internacional.

É dividida em três grandes partes - uma dedicada à sua música e discografia, outra sobre momentos de sua vida, incluindo fotos de família de sua infância e adolescência, e uma terceira sobre a influência de Gil no cenário global da música.

A mostra pode ser acessada em g.co/gilbertogil. Esta é a primeira retrospectiva de um artista brasileiro vivo na plataforma, e está disponível em português, inglês e espanhol.