Geração X viverá mais do que baby boomers, mas com menos saúde

·4 minuto de leitura
Uma nova pesquisa sugere que a Geração X pode viver por mais tempo, mas com uma saúde pior. (Getty Images)
Uma nova pesquisa sugere que a Geração X pode viver por mais tempo, mas com uma saúde pior. (Getty Images)

Você quer as boas notícias ou as más notícias relacionadas à Geração X? Vamos começar com as boas: a ciência revelou que quem está nos seus quarenta/cinquenta anos hoje, viverá mais do que os baby boomers.

A má notícia é que esses anos a mais serão acompanhados por um estado de saúde inferior. Um novo estudo indicou que a Geração X tem maior chance de viver mais anos com a saúde deteriorada do que os baby boomers, que atualmente têm 60 ou 70 anos.

Leia também

Embora exista a percepção de que as gerações mais jovens mantêm estilos de vida mais saudáveis do que seus ancestrais, uma nova pesquisa identificou que os ingleses que estão nos seus 40 ou 50 anos apresentam, em média, uma forma física inferior à da geração anterior nesta mesma idade.

A pesquisa, que comparou gerações nascidas entre 1945 e 1980, descobriu que embora aqueles que nasceram depois estejam vivendo mais, a Geração X, atualmente por volta de 40/50 anos, está sofrendo de condições de saúde como diabetes e obesidade mais cedo.

As descobertas, publicadas na revista Population Studies, analisou dados de 135.189 pessoas com idades entre 25 e 64 anos que participaram da Health Survey for England (HSE), uma pesquisa britânica anual.

Os participantes responderam perguntas sobre seu estado de saúde e a presença de doenças crônicas, como diabetes e doenças cardiovasculares. Além do questionário relacionado à saúde, os enfermeiros também mediram a pressão, o índice de massa corporal (IMC) e a hemoglobina glicada dos participantes, que pode indicar se uma pessoa tem diabetes.

A equipe comparou os resultados de diferentes grupos etários e usou os dados para calcular mudanças na expectativa de vida saudável em cada geração, além do número de anos que cada uma delas viverá com a saúde deteriorada.

Eles descobriram que metade dos ganhos na expectativa de vida entre 1993 e 2003 provavelmente serão vividos com a saúde deteriorada, número que caiu para um quinto dos ganhos observados entre 2003 e 2013. Os pesquisadores descobriram que aqueles que nasceram depois, tinham uma maior chance de apresentar diabetes, sobrepeso e doenças cardiovasculares, além de uma saúde geral pior.

Os baby boomers eram mais saudáveis do que a Geração X quando tinham a mesma idade. (Getty Images)
Os baby boomers eram mais saudáveis do que a Geração X quando tinham a mesma idade. (Getty Images)

Comentando as descobertas, George Ploubidis, autor do estudo e professor do UCL Centre for Longitudinal Studies, disse: “No começo do século 20, o aumento da expectativa de vida caminhava de mãos dadas com o aumento do número de anos saudáveis – as gerações mais jovens viviam vidas mais longas e mais saudáveis”.

“Aparentemente, para as gerações nascidas entre 1945 e 1980, essa tendência sofreu uma alteração. Acredita-se que aqueles que nasceram mais tarde vivam mais, em média, mas com mais anos de saúde debilitada”, explica.

Os autores do estudo acreditam que os resultados possam ajudar a influenciar os serviços de saúde, que já estão sob pressão. “O nosso estudo mostra que, para aqueles nascidos entre 1945 e 1980, a tendência geral indica uma proporção maior de anos de saúde debilitada, com algumas doenças surgindo em idades mais precoces do que antes,” diz o autor principal do estudo, Dr. Stephen Jivraj, da University College London (UCL) Epidemiology and Public Health. “Isso é preocupante para os serviços de saúde, que já estão enfrentando um aumento da demanda por causa do envelhecimento da população”.

Neste ano, outro estudo revelou que pessoas mais ricas costumam viver, em média, entre oito e nove anos “saudáveis” a mais do que aqueles com dificuldades financeiras.O estudo, publicado no Journal of Gerontology, analisou quanto tempo os adultos podem esperar viver uma vida sem problemas de saúde, em vez de avaliar simplesmente a expectativa de vida.

Os resultados mostraram que a maior vantagem socioeconômica em termos de expectativa de vida saudável foi a riqueza. Além desse fator, os pesquisadores também acreditam que ser amável pode nos ajudar a viver mais.

A Dra. Kelli Harding, da Universidade de Columbia em Nova Iorque, acredita que demonstrar compaixão diminui a pressão arterial e favorece o sistema imunológico.

Marie Claire Dorking

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos