Gentili comenta 'treta' com Porchat e volta a falar de condenação: 'O público está comigo'

Foto: Divulgação/SBT

O humorista Danilo Gentili foi o convidado da semana do “Na Lata”, quadro do canal de Antônia Fontenelle no YouTube. No bate-papo com a amiga, o rapaz falou sobre a repercussão de sua condenação pelo crime de injúria praticado contra a deputada federal Maria do Rosário Nunes (PT).

Já conhece o Instagram do Yahoo Vida e Estilo? Segue a gente!

Fonenelle, que já prometeu visitas íntimas caso Danilo seja preso, começou o vídeo colocando lenha na fogueira ao dizer que não concordou com o post de Porchat, assim que a notícia foi divulgada, e pediu a opinião do humorista. Na ocasião, Porchat havia dito que Danilo teve uma atitude “horrível” ao esfregar a notificação judicial nas partes íntimas, mas não merece ser preso por isso.

O apresentador do SBT, porém, não guarda mágoas do ator e diz que Fábio tentou falar com ele por telefone antes do post no Twitter. “Ele me ligou, chamou no WhatsApp quando soube que eu seria preso. Não atendi porque recebi muitas ligações e só vi que ele ligou depois. De verdade, o Porchat é meu amigo. Não fiquei nem um pouco chateado porque ele falou o que pensa“, disse Danilo.

Segundo ele, o ator do “Porta dos Fundos” foi sincero e não deixou de defendê-lo, como amigos verdadeiros costumam fazer. “Tem coisa que fiz, ele não gostou e falou. Em uma amizade verdadeira isso é dito. O mundo que defendo é um mundo em que as pessoas têm que ser livres para discordar”, afirmou ele, que na época chegou a rebater a crítica do amigo pela rede social.

“O que eu respondi foi que ele disse que a minha atitude foi horrível, mas já que você quer comentar o caso, não isola só a minha atitude como se fosse uma atitude louca. Fala o que aconteceu antes. Mas o Porchat tem todo direito de falar da minha atitude. Não estou magoado”, esclareceu.

(Foto: Reprodução/Record)

Na sequência, a youtuber perguntou se Danilo já se sentiu invejado pelo sucesso que faz no “The Noite” e quis saber se o programa já teve alguma censura de Silvio Santos. O apresentador garantiu que o patrão nunca o proibiu de nada e que o filtro do talk show é feito pela própria produção do humorístico. Quanto aos colegas, pontuou que nunca parou para pensar em inveja.

Quando comecei a fazer stand up era muito difícil para mim. Saía da minha casa direto para o bar. E se tivesse um programa de TV, um comediante estabelecido que me recebesse, teria sido mais fácil. Prefiro fazer com os outros o que não fizeram comigo. Quando me afasto de alguém é mais por defesa do que por mágoa. Não guardo rancor de ninguém”, enfatizou.

Apoio do povo

Foto: Reprodução/YouTube

Sem medo de encarar as consequências da condenação e até uma possível prisão, o humorista afirma que o público está do lado dele e tudo isso vai passar, pois já enfrentou fases piores. “Quando o PT estava no poder existia uma militância virtual paga com dinheiro público. Existia um patrulhamento, robôs. Todos esses anos tenho passado por um assassinato de reputação gigantesco”, disse ele.

No fim do bate-papo, Gentili garantiu que o que está acontecendo só tem ajudado seu programa, que está na melhor fase, e chegou a se comparar com o presidente Jair Bolsonaro indiretamente. “Ganho da Globo quase todas as noites, minha audiência nunca esteve melhor. Mesmo com anos de imprensa falando que sou horrível, uma pessoa monstruosa. O público está comigo“, afirmou.

A solução para o problema, segundo ele, é não subestimar o público, que não aceita mais ser feito de bobo. “Grande parte da chave ter mudado, depois de o PT governar o país por tanto tempo, foi as pessoas ficarem de saco cheio. Quando as pessoas inventam coisas que nunca aconteceu, como com o Bolsonaro, que sempre pintaram o diabo mil vezes mais feio do que era, as pessoas que nem gostam dele passam a simpatizar. É humano você se simpatizar com quem sofre injustiça“, avaliou.