General Heleno ataca Flávio Dino por crítica a Bolsonaro sobre coronavírus e governador rebate: "Tente ajudar"

Antonio Cruz/Agência Brasil

O ministro do Gabinete de Segurança Institucional (GSI), general Augusto Heleno, atacou na manhã deste domingo (5) o governador do Maranhão, Flávio Dino (PCdoB), por uma crítica à postura do presidente Jair Bolsonaro (sem partido) frente à pandemia do novo coronavírus.

"Bolsonaro tem hoje mais de TREZENTOS brasileiros mortos por coronavírus na sua porta. E nem isso é capaz de fazê-lo refletir. É como se dois aviões caíssem no Brasil, matando todos os passageiros, e ele seguisse indiferente. Além de incompetente, Bolsonaro é desumano" publicou Dino em seu Twitter, na última sexta-feira (3).

Leia também

Na mesma rede social, Heleno questionou o cargo de Flávio Dino e o chamou de "comunista alienado, sonso, insensível e insensato. O ministro ainda cometeu um ato falho e errou o nome da Covid-19.

"Sexta-feira, 03 Abr, Flávio Dino, Gov(?) do Maranhão, creditou ao Pres Bolsonaro os 300 óbitos do Covid 21. Sempre acreditei, pelo passado histórico, que comunistas são seres alienados, sonsos, insensíveis e insensatos. Atitudes como essa confirmam esse perfil", escreveu Heleno.

Dino devolveu os ataques do ministro, atualizou o número de vítimas pela Covid-19 divulgado pelo Ministério da Saúde e convidou Heleno para uma conversa presencial no Maranhão.

"General, já são 432 mortos na porta do seu capitão. Tente ajudar. O Brasil está precisando. Não quero crer que o senhor seja alienado, sonso, insensível e insensato. Depois venha ao Maranhão e aí terei prazer de recebê-lo como Governador e conversaremos sobre 'passado histórico'", retrucou o governador nordestino.